Arizona aprova barreira contra aborto eugênico

Projeto de lei determina que abortos motivados por diagnóstico pré-natal de anomalias genéticas devem ser negados pelos fornecedores de aborto. A maior clínica de abortos, a Planned Parenthood, é contra a restrição.

0
Anúncio:

O estado do Arizona nos Estados Unidos aprovou na última quinta-feira o projeto de lei 1457 do Senado, que tornaria um crime realizar abortos intencionalmente porque a criança foi diagnosticada no pré-natal com uma anomalia genética, que mata principalmente os bebês com síndrome de Down.

Abortistas se opuseram ao projeto de lei. Marilyn Rodriguez, do Planned Parenthood do Arizona, atacou dizendo que o projeto seria “mais uma tentativa cruel de limitar o aborto, desta vez visando famílias que buscam essa opção após saber que seu feto desenvolveu uma deficiência”.

Anúncio:

Projetos de lei similares proibindo o aborto por causa de anomalia genética, raça e sexo foram aprovadas em dez estados Um deles foi no estado do Tennessee, para proibir aborto motivado por seleção de sexo e por motivo racial.

Contexto

Em muitos países com aborto legalizado o número de portadores de Síndrome de Down ...

Conteúdo

Clique aqui e desfrute cursos, artigos e estudos exclusivos.
Apoie veículos independentes.


Se você já é assinante faça seu login abaixo: