Jornais saem em defesa de Soros, mas análise confirma financiamento

8
Anúncio:

A relação entre a ativista sueca Greta Thunberg, 16, e o bilionário George Soros, que foi objeto de uma matéria publicada por EN a partir do alerta do youtuber Bernardo Küster, vem sendo considerada uma fake news em diversos meios de comunicação que saíram em defesa do bilionário. Confusões propositais e omissões seletivas fizeram da cobertura sobre o tema uma verdadeira peça de análise. Veja como foi a checagem deles e entenda seus erros a partir da análise exclusiva de Estudos Nacionais.

A maioria dos sites de grandes jornais misturou diversos boatos sobre a relação dos dois, incluindo o de que a ativista seria neta do bilionário, a partir de uma foto-montagem que trocava Al Gore por Soros (o que não muda muita coisa), dedicando poucos ou nenhum argumento para contradizer a tese de que Greta seja financiada pelo bilionário que investiu milhões de dólares na Fundação Marielle Franco e banca os estudos de Jean Wyllys.

Anúncio:

Além disso, a maioria dos grandes jornais acusa o deputado de “atacar Greta” com informações falsas. Na verdade, tanto Eduardo quanto outros sites e opinadores vem criticando o bilionário George Soros e os grandes jornais por utilizar a menina de 16 anos como megafone de seus interesses. O preciosismo dos checadores aparentemente não captou esse grave deslize.

Veja o que escreveu o site da revista Época sobre o meme divulgado por Eduardo:

“Na própria postagem, Eduardo disse saber que se tratava de uma imagem falsa e compartilhou um link do portal Estudos Nacionais que reafirma a “acusação” de que a ativista é financiada por Soros, ainda que não ofereça qualquer prova”.

A matéria da Época, no entanto, não oferece qualquer resposta às provas apontadas em nossa matéria, que foram retiradas do alerta do youtuber Bernardo Küster, também não mencionado por Época.

Trechos idênticos da matéria da Época, do grupo Globo, apareceram até mesmo em sites internacionais, como o Clarín, da Argentina, que repetiu os mesmos argumentos e trechos em defesa do bilionário.

A revista admite que Soros é um investidor de “pautas progressistas”, mas ataca os críticos do bilionário, que considera alvo de boatos e “diversas teorias da conspiração”. Mesmo o financiamento da Fundação Marielle Franco, a publicação opta por grafar entre aspas, resguardando-se do conhecimento dessa informação, confirmada inclusive por sites de ONGs ligadas à causa.

Soros, conhecido por investir em diversos projetos do terceiro setor das comunicações com pautas progressistas, é um dos principais alvos da extrema-direita no mundo. Ele é costumeiramente alvo de boatos sobre a natureza de seus investimentos e diversas teorias da conspiração o apontam como suposto influenciador da política internacional.

No texto que acompanha a frase, o deputado diz que “Greta aparece frequentemente junto da ativista adolescente alemã, Luisa Neubauer, de 23 anos. Neubauer é porta-voz de uma ONG fundada com o dinheiro da Open Society, do bilionário George Soros”. Eduardo argumenta que o filantropo fomentaria pautas de “interesse da esquerda internacional” e “movimentos sociais no Brasil como a Fundação Marielle Franco”.

Já a checagem do consagrado E-Farsas foi a única que entrou de fato no assunto e mencionou a ativista alemã Luisa Neubauer, de 23 anos, que pertence à ONG ONE, fundada pelo cantor de rock Bono Vox e pela Fundação Bill e Melinda Gates e outros investidores, como a Open Society, de Soros. Mas o E-Farsas argumenta que Neubauer foi quem se inspirou em Greta, não o contrário.

Diz o E-Farsas:

A ONG ONE – que foi criada pelo vocalista Bono Vox, da banda U2 e agrupa 11 ONGs humanitárias – não esconde (e até deixa bem claro) que recebeu doações da Open Society Foundation de cerca de US$ 25 mil desde 2017 (cá entre nós, um valor muito baixo para sustentar uma teoria como essa). Só que essa não foi a única entidade que contribuiu com a ONE. Empresas como a Coca-cola e entidades com a Bill and Melinda Gates Foundation também já fizeram doações para a ONE.

O E-Farsas, assim, confirma que Luisa Neubauer é uma ativista financiada por George Soros após ser “inspirada” pela menor de idade Greta e sua militância ambientalista.

A checagem também “desdenha” do valor de 25 mil dólares (aproximadamente 100 mil reais), como quem tenta afirmar que um valor desse não seria suficiente para considerar um financiamento. No entanto, o site da Open Society mostra que foi feita doação de 500 mil dólares para o projeto The One Campaign e mais 500 mil dólares para o One Action.Ambos estão identificados como projetos (ou frentes de ação) da Fundação ONE (One.org).

Veja a confirmação de que o projeto é sim da ONE.org:

Ao mesmo tempo, Louisa aparece em diversas manifestações junto com Greta, como que uma sombra, ou uma curadora da menor de idade.  Como é tradicional em checagens da grande mídia, checadores se restringem a uma análise superficial e ideologicamente engajada.

O site da Fundação Bill e Melinda Gates descreve o projeto ONE, que Luisa Neubauer é vinculada, como um projeto que teve início a partir da articulação de Bill Gates, Bono Vox, juntamente com George Soros e outros. Segundo o site da fundação dos Gates, o projeto tem como objetivo “mobilizar celebridades e outros indivíduos influentes para estimular líderes mundiais a agirem em questões específicas de desenvolvimento“, e destaca que entre as prioridades estão as metas do milênio da ONU.

Constitui, portanto, a síntese de uma ação de globalistas, articulada pelas tradicionais fundações internacionais e em prol de objetivos da ONU, utilizando como meio de influência o suporte a celebridades e influenciadores, como Luisa Neubauer e Greta Thunberg, entre outros.

Outra ligação da Open Society de George Soros com a ONE está no fato de que no Board Directors (Diretoria) da One Foundation está um funcionário direto de Soros, membro da Open Society:

Soros é conhecido por financiar ativistas, o que é assumido pelos próprios jornais que o defendem. O montante investido por ele é semelhante ao que tem espalhado pelo mundo em milhares de ONGs e movimentos sociais, sempre em consonância com as mesmas agendas e programas ideológicos globais.

O fato de haver outras entidades não retira Soros da lista, já que o húngaro é considerado por muitos como um símbolo aglutinador que resume a atuação das entidades e fundações financiadores das mesmas agendas.

O E-farsas, portanto, não conclui que a informação é falsa, mas que não há provas suficientes. Então restaria a dúvida sobre o financiamento da própria Greta Thunberg. 

Mas isso não é tão necessário já que Greta é menor de idade, além de ter uma síndrome limitante. A responsabilidade por discursos e ações públicas recai, portanto, nos ombros de quem tem maturidade, saúde e dinheiro para responsabilizar-se publicamente.

Será que o E-Farsas, Época e Globo esperavam ver um relatório financeiro da Open Society com destinação específica ao “CPF” de Greta, que é menor de idade e portadora de síndrome limitante?

Até o momento, outros sites de checadores, como Lupa, Aos Fatos e Agência Pública, não apresentaram checagem sobre o financiamento das causas de Greta. Talvez porque as três agências possuam vínculos ideológicos e ou financeiros diretos com o bilionário de esquerda que banca os estudos do ex-bbb, Jean Wyllys.