Livro ‘Homeschooling no Brasil: fatos, dados e mitos’ responde argumentos contra a educação domiciliar

A obra é do premiado jornalista Jônatas Dias Lima e poderá influenciar o debate nacional ao apresentar dados para desfazer mitos e preconceitos de opositores da educação domiciliar.

0
Anúncio:

Recém lançado pela editora ID Editorial, a obra do jornalista Jônatas Dias Lima recorre a experiências internacionais para desfazer a maioria dos mitos e preconceitos de quem se opõe ou desconhece o que é a prática (ou direito) da educação domiciliar.

Na obra o autor explica que “homeschooling não é uma questão de política pública, mas sim de reconhecimento de direitos”, argumento que ele fundamenta tanto em legislações internacionais como em votos do Supremo Tribunal Federal (STF) que, ao julgar o tema, em 2018, afirmou que essa modalidade de ensino não é inconstitucional, mas precisa de lei para ser aceita pelo Estado.

Anúncio:

O autor comprova ainda que não se trata de uma questão ideológica entre direita e esquerda, por inúmeras razões. Além de existirem diversos exemplos de famílias de ambos os espectros ideológicos no mundo praticando a educação domiciliar, destaca o autor, que um dos projetos de lei sobre a prática no Brasil foi proposto por um petista, o deputado federal Henrique Afonso (PT-AC), em 2008, e entre os apoiadores da causa hoje no Congresso Nacional estão parlamentares de direita e de esquerda, dos quais os de esquerda incluem políticos de partidos como PSB, PDT e até PCdoB.

E já que muitos brasileiros gostam de copiar leis de países desenvolvidos, a obra poderá surpreender ao demonstrar como a prática da educação domiciliar é reconhecida na Constituição e leis da maioria dos países desenvolvidos, como Estados Unidos, Canadá, Portugal, Chile, Austrália, Irlanda, Reino Unido e muitos outros. Dentre os países membros da OCDE, 84% deles tem ensino domiciliar legalizado e o único país membro onde a prática proibida é a Alemanha, lei esta que foi promulgada por ninguém mais ninguém menos do que Adolf Hitler, sendo uma das poucas leis da época que ainda não revogada.

Frente ao ordenamento jurídico brasileiro, outros ainda argumentam que a educação domiciliar poderia representar abandono intelectual das crianças, por não serem enviadas à escola. Essa argumentação é refutada pela obra Homeschooling no Brasil: fatos, dados e mitos. Ficará claro para qualquer leitor que a educação domiciliar é o oposto do abandono intelectual, tratando-se de uma opção de famílias que desejam promover uma educação e um desenvolvimento intelectual superior, de modo mais atencioso, personalizado e livre, onde as dificuldades da criança podem ser melhor trabalhadas e potencialidades e talentos possam ser melhor aproveitados.

A obra Homeschooling no Brasil: fatos, dados e mitos já está disponível nas principais livrarias online como Amazon e também na Livraria Estudos Nacionais. Clique aqui para ler a sinopse completa ou para adquirir o livro.