Sobrevivente de campo de concentração chinês explica por que o socialismo é um inferno

Fome, polícia, vigilância inevitável, aborto e esterilização forçados, extração forçada de órgãos e tantos outros crimes contra a humanidade brutalizaram o povo chinês por mais de 70 anos.

1
Foto: Breitbard
Anúncio:

Terça-feira (15) foi o Dia Internacional da Democracia – um dia em que aqueles que têm a sorte de viver em uma sociedade democrática celebram respirando o ar da liberdade de expressão, liberdade de religião, governo autônomo e o governo de leis.

No entanto, muitas vezes o socialismo é considerado um ideal, mesmo nos Estados Unidos. Jennifer Zeng, é uma corajosa sobrevivente de um campo de trabalho chinês. Ela descreve a verdade sobre o socialismo. O Partido Comunista Chinês abortou à força o segundo filho de Jennifer sob a Política do Filho Único. Eles invadiram sua casa no meio da noite e a detiveram. Quando ela perguntou por que, o policial respondeu: “Por causa do seu pensamento”.

Anúncio:

Jennifer, uma sobrevivente do “socialismo com características chinesas” – comunismo – conta a história de ter sido detida e torturada brutalmente em um campo de trabalho por causa de suas crenças religiosas. Em seu primeiro dia, ela e outras pessoas foram forçadas a se agachar com as mãos atrás da cabeça, olhando para os pés, por 15 horas, sob o sol escaldante. Qualquer um que desmaiou foi acordado por choque com bastões elétricos.

Jennifer diz que “Cada dia era uma luta entre a vida e a morte”. Ela conta que a mão-de-obra escrava do acampamento era usada para fazer produtos vendidos em todo o mundo, inclusive nos Estados Unidos. Ela diz que ela e outras pessoas foram obrigadas a se submeter a exames de sangue, cujos resultados iriam para um banco de dados de doação forçada de órgãos, em que pessoas inocentes eram mortas para colher seus órgãos para transplante.

Quem acha que o socialismo é uma boa ideia deveria assistir o vídeo abaixo. Tem apenas quatro minutos de duração. O socialismo faz promessas que parecem nobres, mas, na realidade, entrega uma dor esmagadora. Fomes provocadas pelo homem, a polícia estatal, vigilância inescapável, aborto e esterilização forçados, extração forçada de órgãos e tantos outros crimes contra a humanidade brutalizaram o povo chinês por mais de 70 anos. Aqueles de nós que vivem em democracia devem se comprometer a nunca permitir que esta forma maligna de governo tome conta de nossa terra.

*Com informações da LifesiteNews