Posição de candidatos sobre aborto pode decidir eleição

14
ELEIÇÕES
Anúncio:

O aborto é um assunto de eleições? Ou assunto de eleições é somente material: construir creches, pontes, trem bala do Rio de Janeiro a São Paulo, rodovias ou ferrovias?  Para iniciar a resposta, utilizarei duas estrofes da  poesia “Ser”, do artista de cordel Bosco Maciel, meu amigo e confrade na Academia Guarulhense de Letras, que dizem o seguinte:

Quando Deus criou o mundo,
pra por tudo em seu lugar,
logo no primeiro dia, criou a luz e o ar
Todas as plantas da terra,
a luz o céu as estrelas,
criou os peixes e o mar.

Anúncio:

Durou tudo uma semana,
e antes de descansar,
resolveu criar o homem,
para na terra morar,
Junto com uma mulher,
que criou no mesmo dia,
pra obra perpetuar.

A resposta é poética, simples e óbvia. Deus criou todas as coisas e por último criou o homem e a mulher, para na terra reinarem.  Os direitos dos animais só existem porque os animais existem. O direito ambiental só existe porque a natureza existe. E os direitos humanos só existem porque as pessoas existem.

Se alguém admitir ou permitir a morte de um inocente e indefeso, estará concordando com o mais grave de todos os crimes de homicídio, um crime hediondo contra um ser inocente e indefeso.

No aborto, a criança é assassinada por asfixia, veneno ou retaliação e esmagamento por tesouras e alicates. O Dr. Bernard Nathanson, ginecologista americano, foi um dos mais ativos defensores do aborto e assassinou cruelmente cerca de 75.000 crianças.

Posteriormente, com o aperfeiçoamento da ultrassonografia,  gravou o filme “O Grito Silencioso”, para mostrar como uma criança, dentro do útero, foge desesperadamente  do seu carrasco. A partir daí, o Dr. Bernard Nathanson desistiu de continuar assassinando crianças nos úteros de suas mães e tornou-se ativista pró-vida.

Prepare-se para ver o filme, recomendado para maiores e com cenas fortes:

 

A vida está acima de pontes, viadutos e creches. Respeitar a vida, desde a concepção até a morte natural, deverá ser o primeiro e mais importante compromisso de qualquer candidato.

A crise moral é o fundamento de todos os problemas brasileiros.  A vida é uma Dádiva de Deus e a essência de nossa existência. Matar um bebê no útero é o máximo da imoralidade. Por isso, o aborto definirá quem serão os novos deputados, senadores e  presidente da República.

 

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba novidades por e-mail.

 
Artigo anteriorA carta da esposa de Ustra, os livros do coronel e o depoimento de uma atriz socialista
Próximo artigo“Mas e as propostas?”
Avatar
Advogado Sênior na Advocacia Biagini (1984); bacharel em Letras; bacharel em Direito; coordenador jurídico na Diocese de Guarulhos (desde 2006); coautor do livro "Imunidades das Instituições Religiosas, coordenado pelos Profs. Drs. Ives Gandra da Silva Martins e Paulo de Barros Carvalho, Noeses, 2015; autor do livro "Aborto, cristãos e ativismo do STF", AllPrint, 2017; membro do IDVF - Instituto de Defesa da Vida e da Família; membro efetivo da UJUCASP -União dos Juristas Católicos de São Paulo; membro efetivo da Academia Guarulhense de Letras.

14
Deixe um comentário

avatar
8000
14 Tópicos de comentários
0 Respostas em tópicos
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Comentário mais polêmico
0 Autores dos comentários
Autores de comentários recentes
  Notifique-me  
Notificar de