“O Brasil precisa ter a chance de educar a si mesmo”, diz Olavo de Carvalho

9
Anúncio:

Olavo de Carvalho rejeita ensino militar e recomenda estratégia educacional baseada na liberdade e criatividade

Em seu canal do Youtube, nesta segunda-feira (20/08), o filósofo Olavo de Carvalho afirmou que a educação precisa ser desregulamentada. Em um vídeo respondendo a questionamentos sobre o futuro da educação brasileira em um possível governo de Jair Bolsonaro, Olavo rejeitou projetos como o da militarização das escolas, defendida pelo candidato do PSL.

Segundo ele, a educação não pode vir do governo, que não tem habilidade para isso. Muito menos os militares, que o filósofo culpa pelo crescimento da hegemonia cultural da esquerda. Ao mesmo tempo, também rejeita a ideia de “universalizar o homeschooling” por meio de instituições como o MEC.

Anúncio:

“Isso tudo é uma bobagem! O erro essencial é a ideia de que o governo federal tem que educar a nação. Essa é uma ideia ‘comunofascista’ que entrou na cabeça do brasileiro no tempo de Getúlio Vargas e não saiu até agora”, alerta.

Olavo de Carvalho argumenta que o governo não deve educar ninguém e sim a sociedade que deve educar-se a si mesma, recomendando para isso iniciativas privadas e comunitárias como clubes, associações ou fundações mantidas por igrejas ou investidores. Relembra o fato de ter estudado nas extintas escolas paroquiais, mantidas pela Igreja Católica. “Não é possível que em 300 milhões de habitantes não haja meia dúzia de boas ideias em métodos educacionais”, diz ao sugerir a total desregulamentação da educação, o que favoreceria que métodos diversos fossem testados e, por fim, se fosse o caso, certificados pelo governo de acordo com seus resultados, como ocorre em muitos países.

Olavo de Carvalho teve sua conta no Facebook bloqueada por 30 dias, em um esquema coordenado para limitar o crescimento da onda conservadora que apoia o candidato Jair Bolsonaro e tem sido apontada como grande responsável pelo crescimento do candidato nas redes sociais.

Apontado pela grande mídia e opositores como “guru” de Bolsonaro, Olavo diz não ter pretensões políticas, mas educacionais: “eu sei o que estou dizendo porque trabalho educando pessoas. Todos os meus alunos ficaram mais inteligentes do que entraram”, diz Olavo enfatizando que a educação brasileira é conhecidamente uma das piores do mundo.

Assista o vídeo na íntegra