Anúncio:

O Facebook anunciou em nota que irá reverter a política de conteúdo em suas plataformas, permitindo que notícias e publicações sobre a origem da covid-19 sejam publicadas em suas redes sociais. A mudança é de “180 graus”, afirmam especialistas, pois em fevereiro “após consultar organizações de saúde, incluindo a OMS”, o Facebook declarou que iria censurar “afirmativas falsas” sobre a origem laboratorial do vírus.

Hoje, pouco mais de três meses depois, o Facebook anunciou que: “À luz de investigações em andamento sobre a origem da covid-19, e consultando experts em saúde pública, nós não removeremos mais afirmações a respeito da origem laboratorial do vírus”. Representantes do Twitter e YouTube recusaram-se a se manifestar a respeito de possíveis mudanças em suas políticas de censura.

Anúncio:

Junto do Facebook, também o presidente dos EUA, Joe Biden, alterou seu tom e postura em relação à origem do vírus, pedindo, após pressão popular e de parlamentares, que a Comunidade de Inteligência Americana emita em até 90 dias um relatório a respeito da origem chinesa da covid-19.