Anúncio:

Das cenas do confronto policial contra criminosos do Comando Vermelho, ocorrido na Favela do Jacarézinho (RJ), na tarde de ontem (07/05), destacam-se os criminosos passando fuzis uns aos outros, incluindo menores, enquanto pulam telhados fugindo da Polícia Civil. O fato foi ignorado por artistas e YouTubers que se manifestaram sobre o caso, mostrando-se indiferentes ao aliciamento de menores por traficantes de drogas.

O blogueiro infanto-juvenil, Felipe Neto, guru do ministro do STF, Luís Roberto Barroso, descreveu a operação policial como “chacina”. “Ler parte da imprensa chamando de ‘operação’ me embrulha o estômago”, disse Felipe Neto em sua conta oficial do Twitter.

Anúncio:

Taís Araújo, ex-participantes de reality show, jornalistas e também sociólogos têm classificado o confronto policial com traficantes do Comando Vermelho como “chacina”. A plataforma Fogo Cruzado, que monitora tiroteios, destacou a voracidade do embate. Fransergio Goulart, da Coordenação Executiva da Iniciativa Direito à Memória e Justiça Racial da Baixada Fluminense, referiu-se à operação como “barbárie que aconteceu no Jacarezinho”.

E as crianças aliciadas? É a pergunta ignorada pela classe artística e jornalista que tem se pronunciado a respeito do confronto. A decisão do Supremo Tribunal Federal em proibir operações em áreas comandas pelo crime organizado enquanto perdure a pandemia foi ignorada pela Polícia Civil, reclamam os jornais. Segundo a decisão do STF, as forças policiais deveriam ter avisado e pedido autorização antes de adentrar em território hostil para combater guerrilheiros do Comando Vermelho que aliciam e usam crianças para tráfico de drogas, assassinatos e outros crimes.

Até o momento desta matéria o número de criminosos eliminados continua em 24. Um policial perdeu a vida no confronto.