Anúncio:

O deputado federal Fausto Ruy Pinato (PP-SP) enviou uma carta ao Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, pedindo medidas judiciais contra sites independentes com viés conservador. Pinato acusa os jornalistas independentes de agirem de forma “coordenada e criminosa” para “atingir a honra e a dignidade” do STF e diz que os sites “possuem um claro perfil negacionista em relação à ciência”, referindo-se à publicações que questionam a eficácia das vacinas e notícias sobre a abordagem precoce contra a Covid-19, utilizada e defendida por milhares de médicos no país.

Pinato pediu ao ministro Alexandre de Moraes para anexar os links e seus respectivos autores às investigações originadas pelo polêmico “inquérito das fake news”, considerado ilegal por muitos juristas. Sob a relatoria de Moraes e a pretexto de combater “notícias falsas” e punir ameaças à honra do STF, o inquérito tem suscitado fortes críticas por ter sido usado politicamente para perseguir jornalistas independentes, adversários políticos do centrão e censurar opiniões divergentes da grande mídia.

Anúncio:

Na última quinta-feira (06), Pinato, que é presidente da Frente Parlamentar Brasil-China e apoiador da base governista, atacou Bolsonaro após o Presidente ter dado uma declaração insinuando que o vírus chinês poderia ser uma arma química usada para desestabilizar os países economicamente.

Sem citar a China, Bolsonaro disse que o coronavírus é “um vírus novo. Ninguém sabe se nasceu em laboratório ou nasceu por algum ser humano ingerir um animal inadequado. Mas está aí. Os militares sabem o que é guerra química, bacteriológica e radiológica. Será que estamos enfrentando uma nova guerra? Qual o país que mais cresceu o seu PIB?”, questionou.

Pelo Twitter, o deputado Pinato disse que as falas do Presidente Bolsonaro foram desastrosas e que teriam afetado a produção de vacinas no Instituto Butantan.

Ao comentar o caso, o deputado federal e filho do presidente da república, Eduardo Bolsonaro, fez uma postagem no Twitter insinuando que os ataques seriam uma retaliação de Pinato ao Governo depois de perder o controle da Companhia de Entrepostos de Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp).

Suspeitas de corrupção

Em fevereiro de 2019, o deputado federal Fausto Ruy Pinato foi afastado do comando da Companhia de Entrepostos de Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) após uma série de denúncias incluindo superfaturamento de contratos e falta de transparência na prestação de contas.

De acordo com matéria publicada na Folha de São Paulo, a Ceagesp encerrou o ano de 2018 com um rombo de R$ 35,2 milhões — um gasto de R$ 141,5 milhões ante uma receita de pouco mais de R$ 111 milhões.

Na época, o Governo Federal decidiu intervir na Companhia e destituir a diretoria. Na matéria, a Folha de São Paulo disse que os autores do pedido de intervenção atribuíram a corrupção na Ceagesp à partidarização da diretoria sob o comando de Pinato.