Anúncio:

O EN Live Chat desta quarta-feira (28) tratou do tema das máscaras e de como o uso indiscriminado vem se popularizando, seus riscos e supostos benefícios de proteção. Em um ambiente de medo e suspeita, a ocultação do rosto e da identidade tem provocado diversos problemas psicológicos e reforçado por eles. No entanto, os problemas de saúde física também não são poucos.

“Uso de máscaras leva à morte de neurônios. É um stress imenso no cérebro, pois este precisa de muito oxigênio e neurônios são células muito sensíveis à falta de oxigênio. Em casos mais avançados pode chegar a dar edema (água no pulmão)”, explica a bióloga molecular, Giovanna Lara, phD em nanotecnologia aplicada à biomedicina.

Anúncio:

Segundo ela, as máscaras causam uma acidificação sanguínea que deixa a circulação mais lenta, criando condições para edema pulmonar, o que consequentemente pode provocar agravamento de casos de Covid-19.

Todas as defesas do uso das máscaras consideram a Covid-19 um risco muito maior de complicações, hospitalizações e mortes. No entanto, se considerarmos os riscos de debilitação do sistema respiratório, pode-se acrescentar as máscaras como agravante destes riscos. Além disso, defensores do uso indiscriminado de máscaras minimizam seus efeitos tradicionalmente conhecidos pela medicina ao mesmo tempo em que rejeitam a existência ou eficácia de medicamentos amplamente testados e conhecidos para o tratamento da doença.

Além de todos esses problemas, as máscaras representam um flagrante abuso contra crianças, um atentado à identidade humana e uma medida que produz verdadeiro distanciamento social, afetivo e cognitivo contra todas as pessoas. Não é à toa que a Organização Mundial pela Vida (OMV) vem denunciando ao Tribunal Penal Internacional os crimes cometidos por governos ao tentar conter a pandemia, causadores de maiores males do que o próprio vírus.

A obrigatoriedade do uso de máscaras é considerada, em documentos jurídicos da OMV, uma medida de humilhação e degradação da dignidade humana, considerando as suspeitas sobre sua efetividade na contenção de contágio viral. Cerca de 100% dos médicos não recomendavam o uso de máscaras até 2020, por questões de saúde, o que aponta para uma submissão institucional nunca vista antes.

Ouça o podcast ao vivo de segunda a sexta, às 13 horas, no canal do Telegram do Estudos Nacionais. As gravações são disponibilizadas no canal e no Soundcloud, como segue abaixo.