É preciso resistir à polícia política da grande mídia

1
Anúncio:

O recente episódio em que repórteres tentaram intimidar banhistas em uma praia em Florianópolis é apenas mais um da série de abusos cometidos pela atividade jornalística quando se submete às agendas coercitivas promovidas por grupos radicais que desejam controlar a economia global por meio do controle e manipulação. Os banhistas que reagiram ao abuso foram imediatamente classificados como agressores e criminalizados como violentos, tendo tão somente reagido à intimidação típica de um jornalismo que vem funcionando como polícia política a serviço de uma classe corrupta e oportunista que se vale dos medos da população para ampliar seu poder e restringir direitos civis básicos como o de ir e vir.

Pode o jornalismo constranger e intimidar a população que circula na rua, na praia ou em qualquer lugar, com base em decretos draconianos assinados no calor da própria cobertura sensacionalista...

Anúncio:

Conteúdo

Clique aqui e desfrute cursos, artigos e estudos exclusivos.
Apoie veículos independentes.


Se você já é assinante faça seu login abaixo: