Trump pede responsabilização da China em seu discurso na ONU

0
(Michael Reynolds/Getty Images)
Anúncio:

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse em seu discurso nesta terça-feira (22/09), na Assembleia Geral da ONU, que a China precisa ser responsabilizada pela ONU pela forma como o país comunista gerenciou a pandemia do vírus chinês.

“Nos primeiros dias do vírus, a China fechou-se para viagens domésticas, mas permitiu que as pessoas saíssem da China e infectassem o mundo”, disse Trump. Em seguida, ele pediu para que a ONU responsabilize os chineses.

Anúncio:

“Estamos em uma batalha dura contra o inimigo invisível – o vírus chinês -, que tirou um número incontável de vidas em 188 países”

Trump lembrou que a China e a Organização Mundial da Saúde (OMS), disseram, no início da pandemia, que não havia evidência de transmissão entre humanos.

“O governo chinês e a Organização Mundial da Saúde, que é controlada pela China, falsamente declararam que não havia evidência de transmissão entre humanos. Depois, afirmaram falsamente que as pessoas sem sintomas não poderiam espalhar a doença. A ONU precisa responsabilizar a China pelas suas ações.”

O presidente americano destacou que ambientalistas atacam os EUA pela política de proteção ambiental, porém ignoram a poluição proveniente da China: “Os que atacam o bom histórico ambiental dos EUA e ignoram a poluição na China não estão interessados no ambiente. Eles só querem punir os EUA. E eu não vou tolerar isso”.

Donald Trump afirma que os EUA estão lutando para ter uma vacina efetiva para o combate a pandemia: “Vamos distribuir a vacina, vamos derrotar o vírus e vamos acabar com a pandemia e entraremos em uma nova era de prosperidade, cooperação e paz sem precedentes”, declarou.

Em seu discurso, Trump defendeu sua abordagem nacionalista na política externa.

“A América está cumprindo seu destino como pacificador. Mas é paz por meio da força. (…) Por décadas, as mesmas vozes cansadas propuseram as mesmas soluções fracassadas, perseguindo ambições globais às custas de seu próprio povo. Mas só quando você toma conta de seus cidadãos você encontra a base verdadeira para a cooperação”, declarou.

“Como presidente, rejeitei as abordagens fracassadas do passado – e estou orgulhosamente colocando a América em primeiro lugar, da mesma forma como vocês (chefes de Estado) deveriam colocar seus países em primeiro lugar.”

*Com informações da BBC Brasil