Joe Biden diz a judeus que Trump “apoia neo-nazistas”

1
Candidato a presidente Joe Biden (Photo/Andrew Harnik)
Anúncio:

Biden disse aos judeus que o presidente Trump chamou os neonazistas de “gente muito boa”, repetindo a “gente muito boa de Charlottesville”, de acordo com um mantra que ele usou durante a campanha, discurso após discurso, debate após debate:

“Juntos, podemos acabar com o preconceito e o anti-semitismo. Uma das coisas que me envolveram nessa corrida – nós, eu não tínhamos planejado correr – foi quando aquelas pessoas saíram dos campos em Charlottesville, entoando o mesmo anti [semitismo] – carregando tochas, com as veias salientes, feche os olhos, lembre-se da imagem na televisão, entoando o mesmo hino anti-semita que se ouvia nas ruas da Alemanha nos anos 30, bandeiras nazistas, acompanhadas de supremacistas brancos, e então quando o presidente foi questionado, quando uma jovem foi morta, o que ele achou, disse ele, cito que há pessoas muito boas em ambos os lados. Não somos assim”.

Anúncio:

Como a Breitbart News observou em uma checagem de fatos recente:

  • O presidente Trump condenou repetidamente os neonazistas em Charlottesville em agosto de 2017 – “totalmente”.
  • Quanto a “gente muito boa”, Trump se referia a protestos pacíficos tanto a favor quanto contra a remoção de uma estátua do general confederado Robert E. Lee.

Ele condenou completamente os extremistas – como confirmam a linha do tempo e a transcrição:

– 12 de agosto de 2017: Trump condenou “violência” em muitos lados “em Charlottesville, após confrontos neonazistas e antifa

– 14 de agosto de 2017: Trump condenou “neonazistas, supremacistas brancos e outros grupos de ódio” em declaração da Casa Branca

– 15 de agosto de 2017: Trump condenou neonazistas “totalmente”, elogiou manifestantes não violentos “em ambos os lados” do debate sobre a estátua

Biden lançou sua campanha com a farsa de Charlottesville e persistiu em fazê-lo, mesmo depois que o Breitbart News o confrontou em agosto passado com o fato de que ele estava citando erroneamente o presidente. Além disso, Trump condenou o assassinato da jovem em Charlottesville como “terrorismo”. Seu nome era Heather Heyer – um fato que Biden de alguma forma nunca lembra em seu roteiro.

Biden tem persistido em dizer a mesma mentira, apesar das inúmeras checagens de fatos:

– Abril de 2019: Jake Tapper da CNN observou que “Trump condenou neonazistas e supremacistas brancos. Portanto, ele não está dizendo que os neonazistas e os supremacistas brancos são pessoas muito boas.”

– Agosto de 2020: A BBC verificou as declarações de Biden, observando que Trump havia dito: “Não estou falando sobre os neonazistas e os nacionalistas brancos, porque eles deveriam ser totalmente condenados”.

– Setembro de 2020: ABC News verificou as falas de Biden, observando: “Dois dias após confrontos violentos em Charlottesville, Trump disse: ‘O racismo é mau e aqueles que causam violência em seu nome são criminosos e bandidos, incluindo KKK, neonazistas, brancos supremacistas e outros grupos de ódio ‘”.

Em sua mensagem de Rosh Hashanah, Biden seguiu com a sua mentira prometendo permanecer um “aliado constante de Israel” se eleito. O presidente Trump também entregou uma mensagem de Rosh Hashanah aos judeus no início desta semana.

*Com informações da Breitbart