FBI invade casa de ‘estrela da NetFlix’ por abuso de menores, afirma o relatório

0
Foto: Jim Spellman/Getty Images
Anúncio:

O FBI invadiu a casa de Jerry Harris, uma estrela da Netflix, sob acusação de abuso de menores. Harris apareceu recentemente em um vídeo com o candidato democrata à presidência, Joe Biden, onde encorajava jovens negros a votar no democrata.

“A investigação é baseada em denúncias feitas por irmãos gêmeos de 14 anos. Em entrevistas ao USA TODAY, os meninos descreveram um padrão de assédios, tanto online quanto em competições de torcida, que teriam começado quando eles tinham 13 anos e Harris tinha 19”, relatou o USA Today. “Eles disseram que continuaram por mais de um ano”.

Anúncio:

Harris é uma celebridade líder de torcida que apareceu recentemente na série documental “Cheer”, da Netflix, e recentemente foi visto em um vídeo com Biden no início deste verão.

Em um artigo recente, o site The Washington Free Beacon relatou:

“Apenas três meses atrás, a campanha de Biden usou Harris, que tem mais de um milhão de seguidores no Instagram, como parte do esforço de Biden para influenciar os eleitores jovens e “reconquistar a internet”, relatou a revista Time. O vídeo ao vivo no Instagram de Harris e Biden foi visto quase 300.000 vezes e continua nas redes sociais”.

Parece que após a publicação do relatório do Free Beacon, a postagem nas redes sociais foi removida do Instagram.

“Nove policiais passaram cerca de três horas na tarde de segunda-feira (14) na casa de Harris em Naperville, Illinois,” acrescentou o USA Today. “As alegações contra Harris foram relatadas a pelo menos quatro outras delegacias no Texas e na Flórida.”

A notícia veio depois que a Netflix enfrentou reações adversas nos últimos dias por causa de um filme altamente polêmico que foi amplamente acusado de sexualizar crianças pequenas. Tanto republicanos quanto democratas proeminentes se manifestaram contra o filme.

Clipes do filme “Cuties” da Netflix, lançado no início desta semana, estão fazendo com que sobreviventes de agressões e abusos sexuais revivam experiências traumáticas enquanto normalizam a exploração sexual de crianças, disseram sobreviventes e defensores do tráfico sexual ao The Daily Wire.

O Daily Wire observou:

“’Cuties’, lançado na quarta-feira e promovido pela Netflix, tem como foco Amy, uma garota senegalesa de 11 anos que cresceu em Paris em uma família muçulmana tradicional. O filme revela desde cedo que o pai de Amy planeja ter uma segunda esposa, e Amy entra em crise por rejeitar os valores extremos de seu pai e procurar pertencer à era da internet.

Ela aprende movimentos de dança sugestivos – que são retratados vividamente na tela por garotas pré-púberes se agarrando e se contorcendo em posições sexuais – nas redes sociais para ganhar uma vaga em uma trupe de dança em sua escola chamada “Cuties”. O filme termina com Amy chorando, fugindo da trupe e tentando recuperar sua inocência vivendo uma infância mais normal.

Clipes do filme inundaram as mídias sociais logo após seu lançamento, gerando forte reação contra a Netflix e a criadora do filme, Maïmouna Doucouré, por suas exibições vigorosas de garotas e closes de câmera que mostra as virilhas e nádegas das garotas diretamente na tela. Enquanto muitos críticos criticaram o filme como pornografia infantil soft, a sobrevivente do tráfico sexual e defensora Eliza Bleu disse que o filme também está dando às vítimas de abuso sexual flashbacks de alguns dos momentos mais sombrios de suas vidas”.

*Com informações da Dailywire