Mesmo com risco de paralisia, vacina polêmica manterá testes em brasileiros

4
Anúncio:

A vacina de Oxford contra covid 19, produzida pela AstraZeneca, irá retomar os testes em voluntários, mesmo após ter sido registrada uma ocorrência de reação adversa que levou à paralisia de um voluntário. A mielite transversa é uma reação que, segundo médicos, pode tornar uma pessoa tetraplégica. Mesmo assim, a polêmica vacina manterá testes em brasileiros.

Os jornais não têm informado devidamente os riscos da mielite transversa, reação registrada em um voluntário da vacina de Oxford contra covid 19 que causou a interrupção nos testes. No entanto, segundo informaram os jornais neste sábado (12), os testes serão retomados mesmo com riscos de causar paralisia total em voluntários.

Anúncio:

O clima de suspeita em relação às vacinas contra covid 19 vem sendo motivado pela produção apressada da vacina, além da defesa acalorada de grandes entidades ligadas à indústria farmacêutica, que iniciaram uma campanha contra medicamentos para o tratamento precoce da doença, como a hidroxicloroquina.

A vacina de Oxford já foi motivo de críticas por ser uma das poucas vacinas internacionais que utilizam as linhas celulares fetais, obtidas a partir de abortos. Agora, as reações adversas registradas na vacina engrossaram as suspeitas e rejeição de brasileiros às campanhas de vacinação.

A doença é altamente perigosa e pode deixar sequelas permanentes, como tetraplegia. Segundo matéria do New Yotk Times, aproximadamente 33% dos pacientes da doença se recuperam com pouco ou nenhum déficit necessitando de fisioterapia, após três meses. Outros 33% têm um grau moderado de incapacidade permanente e 33% ficarão permanentemente incapacitados.

A Mielite transversa é uma manifestação neurológica que afeta os nervos periféricos da coluna, explica a imunologista e coordenadora do Departamento Científico de Imunização da ASBAI (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia), Ana Karolina Barreto Marinho, ao jornal Folha Vitória. Segundo a especialista, a inflamação ocorre em virtude de uma resposta imunológica excessiva do indivíduo em relação a uma inflamação ou vacina.

Corrida por vacina fez governo cometer erros

A corrida por assinar contratos com empresas produtoras de vacinas contra covid 19, para acalmar a intensa pressão das notícias negativas que assolavam os jornais contra o governo, podem estar entre as razões de alguns equívocos. O primeiro deles foi a assinatura de uma lei que permite vacinação obrigatória durante situações de emergência decretadas, estabelecendo relativização da Constituição, que veda tratamento ou cirurgia compulsória a cidadãos. O segundo erro foi não dar ouvidos a alertas sobre questões éticas envolvendo vacinas no mundo, como o uso de linhas celulares fetais, o que os EUA, por exemplo, constitui intenso debate ético, conforme artigo da revista Science.

Já o terceiro erro pode ter sido o de assinar o contrato com a AstraZeneca livrando-a de qualquer responsabilidade, uma cláusula resultado de lobby da poderosa indústria farmacêutica.