EUA: dicionário muda definição de “mulher” para: “identidade de gênero oposta ao masculino”

1
Getty Images
Anúncio:

O conhecido dicionário estadunidense de inglês Merriam-Webster adicionou novas definições ao conceito de “female” (mulher) em seu rol. Apesar da primeira definição ainda ser “relacionado a, ou ser o sexo que normalmente tem a capacidade de gerar filhotes ou produzir ovos”, um conceito, pois, biológico, as definições secundárias apontam para uma noção de gênero dissociada da realidade biológica e alinhada ao ativismo da ideologia de gênero.

Logo abaixo da primeira definição, o dicionário oferece, no item “b”, o seguinte conceito: “ter uma identidade de gênero que é oposta ao masculino”. A própria definição de “identidade de gênero”, oferecida pelo Merriam-Webster, é sobre “a sensação interna de uma pessoa de ser homem, mulher, alguma combinação de homem e mulher, ou nem homem nem mulher”.

Anúncio:

A guinada do conceito biológico de gênero para uma concepção “utilitarista”, onde o gênero é opcional, não tem agradado nem mesmo algumas feministas, que usualmente abraçam a agenda progressista sem titubear.

O portal Breitbart lembrou de uma escritora feminista (Natasha Chart) que criticou severamente o esforço dessas empresas em mudar a linguagem como forma de tentar apagar a realidade natural.

“Essas brigadas de indignação online não representam nem o público em geral, nem as opiniões consideradas de profissionais livres para falar o que pensam ”, disse Natasha, criticando a agenda transgênero e instando os empregadores a “fortalecer sua espinha dorsal contra as pressões irracionais da patrulha e começar a aplicar as regras do local de trabalho contra o assédio de colegas sobre suas opiniões políticas.”

“Todos sabem o que são as mulheres, e que não somos definidas por um estado de espírito que uma pessoa pode ter”, continuou Natasha. “Eu não tenho uma ‘identidade de gênero’. Eu tive um filho por meio do meu corpo feminino, não por meio de um estado de espírito, e é um desrespeito para toda mãe e crianças sugerir o contrário.”