Contra a apropriação cultural, time de futebol americano bane fãs de usarem cocar de índio nos estádios

3
Getty Images/Tom Pennington
Anúncio:

O time profissional de futebol americano Kansas City Chiefs, cuja simbologia faz referência à comunidade indígena dos Estados Unidos, anunciou uma série de banimentos em nome do politicamente correto, sob a justificativa de que o uso de elementos da cultura indígena só pode ser feito pelos próprios integrantes dela.

“Embora tenhamos desencorajado os torcedores a usar cocares por vários anos, agora, com efeito imediato, os torcedores serão proibidos de usar cocares no estádio, explicou o time em um comunicado. “A pintura facial ainda é permitida para todos os fãs, mas qualquer pintura facial que seja estilizada de uma forma que faça referência ou se adeque às culturas e tradições dos índios americanos será proibida.”

Anúncio:

“Somos gratos pelas conversas significativas que tivemos com todos esses líderes indígenas americanos”, continuou o comunicado. “É importante que continuemos o diálogo sobre esses tópicos significativos e esperamos continuar a trabalhar juntos no futuro.”

Em junho, a atriz Florence Pugh, estrela dos filmes Midsommar e Little Women, ambos lançados em 2019, desculpou-se por uma série de caracterizações que fez no passado, como colocar rena nas mãos e usar tranças no cabelo.

“Uma parte que identifiquei em minhas próprias ações é a apropriação cultural, que me chamou a atenção quando um fã no ano passado apontou uma foto minha que eu tinha postado quando tinha 17 anos”, escreveu a atriz que foi acusada de apropriação cultural.

Atriz Florence Pugh desculpa-se por apropriação cultural porque já fez tranças no cabelo