EUA: delegados do Partido Democrata omitem palavra “Deus” do juramento à bandeira

1
OLIVIER DOULIERY/ via Getty Images
Anúncio:

O moderador que deu início à reunião da Assembleia de Delegados Muçulmanos durante o segundo dia da Convenção Nacional Democrata pulou o “sob a proteção de Deus” enquanto liderava a audiência virtual na recitação do juramento de fidelidade à bandeira. A informação é do Breitbart.

“Juro fidelidade à bandeira dos Estados Unidos da América e à República que ela representa, uma nação, indivisível, com liberdade e justiça para todos”, disse o moderador, recitando o juramento e omitindo o tradicional “under God” (que, traduzido contextualmente para português, significa “sob proteção de Deus”).

Anúncio:

Como o hino nacional, o juramento à bandeira transformou-se em um alvo da extrema esquerda, que afirma ser racista e excludente. No ano passado, um distrito escolar da Pensilvânia proibiu um diretor por dizer ‘Deus abençoe a América’ após o juramento de fidelidade, depois que a Fundação Anticristã Freedom From Religion (FFRF) ameaçou abrir um processo”, destacou o Breitbart.

O presidente Donald Trump e candidato à reeleição lembrou dessa omissão proposital dos democratas e aproveitou a oportunidade para alfinetá-los:

The Democrats took the word GOD out of the Pledge of Allegiance at the Democrat National Convention. At first I thought…

Posted by Donald J. Trump on Saturday, August 22, 2020

Os democratas tiraram a palavra DEUS do Juramento de Fidelidade na Convenção Nacional Democrata. No começo eu pensei que eles haviam cometido um erro, mas não foi. Foi feito de propósito. Lembrem-se, cristãos evangélicos, e TODOS, é daqui que eles saem – está feito. Vote em 3 de novembro!, escreveu Trump.

A Convenção Nacional dos dois principais partidos americanos (Democratas e Republicanos) acontece na forma de um evento que dura uma semana, uma verdadeira festa, quando delegados se reúnem e diversos políticos, celebridades e outros convidados discursam em apoio ao candidato de preferência à eleição presidencial.