Mortes diárias caem 38% em três meses e sinalizam fim de epidemia de Covid

1
Anúncio:

Nos últimos três meses, as mortes diárias por covid caíram 38% se comparadas com o dia 14 de maio, considerado o pico da epidemia. O cálculo foi feito com base no Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, a partir do Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe. Observou-se as mortes por Covid 19 segundo a data de ocorrência.

O Brasil já vem apresentando queda no número de mortes diárias por Covid desde o pico da curva, no dia 14 de maio, quando ocorreram 1.103 mortes em decorrência do vírus chinês. Em 20 de julho as mortes já foram bem menores, representando a queda de 38%. Desde o início de agosto, porém, as mortes diárias despencaram e até o momento trazem os números mais baixos desde o início dos contágios pelo novo coronavírus.

Anúncio:

O Boletim foi atualizado no dia 3 de agosto, mas ainda pode sofrer alterações dos dias de agosto. É por este motivo que o cálculo da queda foi feito com base no dia 20 de julho, pois até essa data dificilmente haverá alterações.

Diante de queda, jornais mudam cobertura

Apesar da tendência de queda, a grande maioria dos jornais brasileiros vêm optando por cálculos de médias comparadas. Isso faz com que seja possível a seguinte interpretação, feita pelo site G1.

Na segunda-feira (10), às 20h, o balanço indicou: 101.857 mortes, 721 em 24 horas. Com isso, a média móvel de novas mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 1.022 óbitos, uma variação de +2% em relação aos dados registrados em 14 dias.

Na matéria, o G1 optou por calcular a média de mortes por dia e escolheu um recorte de dias que fizesse essa média apresentar alta.