Revista Teen Vogue pede a abolição da propriedade privada e salário mínimo estatal garantido a todos

3
YouTube
Anúncio:

A versão jovem da Revista Vogue (Teen Vogue) publicou, no mês passado, um texto em que critica a resposta do governo americano na pandemia de coronavírus (COVID-19).

Em forma de editorial, escrito por Kandist Mallett, o texto enumera diversas ações políticas (predominantemente de extrema-esquerda) que, segundo a autora, deveriam ser tomadas como forma de transformar a sociedade americana usando-se o coronavírus de pretexto.

Anúncio:

“Já se passaram quatro meses desde que o ataque da pandemia de coronavírus destacou pela primeira vez as falhas do capitalismo e a incompetência do governo dos Estados Unidos. Houve uma oportunidade para nosso país se tornar menos horrível – para finalmente lidar com algumas de nossas falhas institucionais. Isso, é claro, não aconteceu”, começa Kandist no editorial.

A jornalista então pede: salário mínimo universal (isto é, garantido a todos pela canetada do estado, mesmo se a pessoa não trabalhar de fato), saúde universal (estatal), suspensão de aluguel e perdão de dívidas.

Kandist Mallett foi mais além ainda e sugeriu a completa abolição da propriedade privada:

Enquanto trabalhamos para abolir a polícia, devemos também trabalhar para desmantelar o que a polícia foi colocada aqui para proteger: a propriedade. O que é mais evidente do legado do colonialismo colonizador e sua violência do que a ideia da propriedade da terra? O que ajudou a moldar a distribuição desigual de riqueza e a segregação duradoura de nossas cidades, como séculos de leis imobiliárias racistas?”

Segundo Kandist, enquanto milhares de afro-americanos e latinos estão sendo despejados de suas casas por conta da crise, a própria ideia de propriedade privada deve ser questionada e o papel que ela “desempenha na manutenção da violência econômica nessas comunidades.”

“Precisamos de um movimento habitacional baseado na rejeição de que qualquer pessoa deve possuir um pedaço desta terra”, finalizou.