“Se Biden se eleger presidente, as armas serão confiscadas”, diz Donald Trump sobre o adversário

0
Candidato a presidente Joe Biden (Photo/Andrew Harnik)
Anúncio:

Ontem (6) o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reagiu acerca da notícia vinda do estado de Nova Iorque, de que o procurador-geral de lá está processando a mais famosa organização pró-armas dos EUA, a National Rifle Association – NRA, e pedindo a completa dissolução dela.

Trump soltou um tweet em que alertou para o perigo que a Segunda Emenda, que garante o armamento da população civil na Constituição americana, sofrerá caso o candidato Joe Biden, do Partido Democrata, vença as eleições presidenciais.

Anúncio:

“Assim como o estado esquerdista radical Nova Iorque está tentando destruir a NRA, se Biden se tornar presidente, sua GRANDE SEGUNDA EMENDA não terá chance. Suas armas serão confiscadas, imediatamente e sem aviso prévio. Sem polícia, sem armas!”, disparou Donald Trump.

Joe Biden, como quase todos os integrantes do Partido Democrata (a esquerda dos EUA), é um fervoroso defensor do controle rígido ou banimento de armas em solo americano.

“Armas de guerra não têm lugar em nossas comunidades. Quando eu era senador, enfrentei a @NRA e garanti uma proibição de 10 anos em armas semi-automáticas – e como presidente, proibirei essas armas novamente”, escreveu Joe Biden na última quarta-feira.

No final do mês passado, a National Rifle Association – NRA soltou uma nota de apoio explícito à reeleição de Donald Trump.

“Em nome dos 5 milhões de membros da NRA nos Estados Unidos, o Fundo de Vitória Política da Associação Nacional do Rifle (NRA-PVF) tem o orgulho de apoiar sua reeleição como presidente dos Estados Unidos da América”, comunicou a NRA. “Você fez mais do que qualquer presidente para proteger o direito da Segunda Emenda de manter e portar armas. A NRA está com você e sua administração.”

A eleição presidencial americana acontecerá no próximo dia 3 de novembro.