Ministro do STF, Marco Aurélio, é contra o foro privilegiado

Ministro afirma que “cidadão deve responder como um mortal”

1
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Anúncio:

Em entrevista ao Jornal da Manhã, transmitido pela Rádio Jovem Pan, nesta terça-feira (04), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio, disse que é contra o foro privilegiado. Segundo o ministro, ninguém deveria ter esse direito. “O ideal é que o cidadão respondesse como um mortal, na primeira instância, mas acabam potencializado o taco do Supremo”, afirmou.

“Em uma visão republicana, teríamos o tratamento igualitário dos cidadãos em geral”, continuou o magistrado. Ele ainda reconheceu que as decisões sobre o foro privilegiado chegam a confundir os leigos. “O leigo fica atônito, uma no cravo, outra na ferradura”, lamentou. “O tratamento tem que ser harmonioso, portanto, igualitário. Não pode variar o enfoque de ministro para ministro.”, destacou a Jovem Pan.

Anúncio:

Marco Aurélio se mostrou contrário ao famigerado “inquérito das fakes news”. O ministro foi o único na Corte que votou contra a instauração e legalidade da ação. Aurélio é crítico ao fato de o próprio STF julgar um suposto crime do qual ele mesmo foi vítima.

“Eu disse isso nos 10 a 1 [em referência à votação no Plenário], quando concluí que é um inquérito natimorto e do fim do mundo, você pode colocar qualquer coisa nele” e, “É péssimo em termos de organicidade do próprio direito e em termos de imagem do próprio Supremo”, lamentou o magistrado.

*Com informações da Jovem Pan