Teen Vogue publica matéria que aborda o “racismo sistêmico” no ato de dormir

0
Crédito da foto: Senso Incomum
Anúncio:

“Fannie Sosa e Navild Acosta estavam cansados, mas não era apenas um cansaço antigo. Sim, eles experimentaram uma falta de sono, mas estavam experimentando especificamente um cansaço geracional familiar aos negros e pardos. A partir desta insônia, os dois criaram o movimento Black Power Naps”, escreveu a revista Teen Vogue, numa matéria cujo título é Black Power Naps aborda o racismo sistêmico no sono.

O texto argumenta que anos de privação de sono à população negra causaram efeitos fisiológicos que foram sendo herdados de geração a geração, de modo que é preciso derrubar o mito de que os negros são preguiçosos.

Anúncio:

“Isso veio do entendimento de que o sonho americano é sem sono”, disse Fannie Sosa, um dos fundadores do grupo Black Power Naps. “Nós herdamos essa exaustão.”

O grupo também pede reparação à população negra, na forma de mais descanso e horas disponíveis para dormir.

“Precisamos de folga; precisamos de tempo. Nossos ancestrais nunca tiraram um mês de férias; eles nunca tiveram um momento sabático; eles nunca conseguiram tirar uma soneca. Quando você empilha tudo isso, vê como as reparações que podem acontecer são monetárias, mas também são tempo e espaço”, suplicou Fannie Sosa.