Médicas acusam termos como “Tendão de Aquiles” e “Pomo de Adão” de misóginos e sexistas

4
Abid Katib/Getty
Anúncio:

Partes do corpo que têm o nome inspirado em homens, gerreiros e reis estão na mira da patrulha ideológica que já dá as caras nas ciências biológicas. Os nomes que se correlacionam com tais figuras estão sendo taxados de “sexistas” e “misóginos” por médicas australianas. A informação é do Breitbart.

A Dra Kristin Small, do estado australiano de Queensland, tem estimulado seus estudantes a abandonarem o “preconceito de gênero” em relação ao nome de algumas partes corporais.

Anúncio:

“Acho que temos uma escolha pessoal para descolonizar nossa linguagem e esses termos históricos desaparecerão”, disse Kristin ao jornal australiano Courier Mail.

A médica Dra Nisha Khot, do Royal Australian e New Zealand College of Obstetricians, também partilhou da posição de Kristin Small e quer abolir termos médicos como, por exemplo, “Tendão de Aquiles” e “Pomo de Adão”, por considerá-los patriarcais e pela falta de representação feminina nas mais de 700 partes do corpo humano que são nomeadas em homenagem a pessoas.

“Os jovens médicos estagiários gostam principalmente de aprender a linguagem mais relevante e geralmente ficam chocados quando ouvem as origens de alguns termos médicos”, afirmou Nisha Khot.

O Breitbart ainda escreveu que a “Dra Small lamentou que grande parte do sistema reprodutivo feminino recebeu o nome de ‘caras mortos’, o que inibe seu desejo de subverter o patriarcado de uma maneira moderna e prática.”