Autores querem que a agência literária de JK Rowling a boicote por comentários “anti-trans”

1
JK Rowling, autora dos livros de Harry Potter (Photo/Lefteris Pitarakis, File)
Anúncio:

Quatro autores da mesma agência de JK Rowling, a autora dos livros de Harry Potter, pediram para sair da agência como forma de protesto e pressão contra Rowling, que discordou da ideologia de gênero há algumas semanas, quando afirmou que “conheço e amo pessoas trans, mas apagar o conceito de sexo [biológico] remove a capacidade de muitos de discutir suas vidas de maneira significativa. Não é ódio falar a verdade.”

“Fox Fisher, Drew Davies e Ugla Stefanía Kristjönudóttir Jónsdóttir disseram que não podiam mais trabalhar com a Blair Partnership, a agência com sede em Londres que representa todos os aspectos do trabalho da autora de Harry Potter, porque não estavam convencidos de que a empresa ‘apoia totalmente nossos direitos em todos os aspectos”, informou o Breitbart. “Um quarto autor também teria partido, mas quis permanecer anônimo.”

Anúncio:

Logo após JK Rowling dar sua opinião sobre a ideologia de gênero, uma enxurrada de ativistas foram ao Twitter da autora para criticá-la. “Não sei por que JK Rowling está tendo um discurso anti-trans de ódio hoje, mas não tenho tempo para essas besteiras, então só vou jogar fora todos os nossos livros de Harry Potter e seguir em frente”, disse um usuário.

Criticando os autores que saíram da agência, o jornalista John Nolte, do Breitbart, escreveu que “esses quatro fascistas estão dizendo essencialmente a uma agência literária que abandone ou repreenda publicamente Rowling (o que a forçaria a renunciar), e tudo isso porque Rowling se recusa a comprar esse absurdo anticientífico que exige que todos fôssemos convencidos de que homem pode magicamente se transformar em uma mulher simplesmente dizendo que ele é uma mulher…”

 

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba novidades por e-mail.