Após vídeo, Olavo de Carvalho é citado em mais de 300 matérias

2
Anúncio:

Mais de 300 novos registros de citação do nome do filósofo Olavo de Carvalho apareceram nas últimas 24 horas, após o vídeo em que critica atuação de empresários e políticos conservadores, além cobrar do presidente Jair Bolsonaro ações concretas contra os inimigos do Brasil, ao invés do que considerou como críticas inúteis e reclamações a jornalistas.

Atacado há mais de 30 anos, o filósofo diz nunca ter tido qualquer ajuda de advogados ou dos políticos que usam seu nome para ganhar prestígio entre admiradores.

Anúncio:

Nos últimos meses, foram quase 10 mil citações de seu nome. O termo “intelectual público” cabe ao professor, mas não basta para descrevê-lo. Serve apenas para constatar o óbvio: é o mais falado do país, e não apenas isto. Também é mais difamado e caluniado.

O vídeo deste sábado (06/06) não foi o primeiro em que Olavo reclama de uma rede difamatória em ação contra ele. Por diversas vezes, o filósofo lembrou que, no tempo do Orkut, os ataque e fake news inventadas contra ele reuniam cerca de 10 mil páginas de documentação, o que nunca foi objeto de ação judicial contra os detratores.

Um dos problemas é a dificuldade de responder a todos os ataques, o que os tornam mais eficientes e permanentes no imaginário de leitores e internautas que buscam por seu nome na internet.

Repetidas vezes ouvimos dele próprio e observamos tais e quais comentários circulando pela internet e, depois, na grande mídia para, enfim, chegar às conversas de bar, família e amigos.

A última, mais recente, que serve de exemplo do que fala o professor no vídeo, trata-se de uma especulação, informação de fonte oculta, publicada por um site: “o presidente deu aval ao Luciano Hang, dono da Havan, para que comece arrecadar recursos para “sossegar” o “guru”. Reza lenda que a fonte é “integrante do Palácio do Planalto”. Quem deu a notícia? O jornalista Vicente Nunes, no site Correio Brasiliense.

A matéria virou fonte para outros blogs e jornais: Poder 360, Correio do Oeste, Brasil 247, Estado de Minas e outros. Na manhã desta segunda-feira (8), o blogueiro Ricardo Noblat assume para si a narrativa e, sem citar fonte, afirma a existência de uma “operação para salvar Olavo de Carvalho”, aprovada pelo presidente da República.

A plataforma utilizada para colher os dados chama-se News Monitor. Termos como “guru do governo”, “guru da direita”, “fonte da militância digital”, acompanham todos os artigos, cada matéria; para muitos jornalistas da grande mídia estas são descrições válidas, factuais. É assim que, aos poucos, queima-se uma reputação. Ainda mais no país onde hábito de leitura é manchete de jornal.