Comunidades indígenas do Amazonas recebem mais de 60 mil cestas de alimentos

Ação da ministra Damares beneficiará cerca de 30 mil famílias amazonenses de 32 municípios localizados nas regiões. Ação faz parte do Plano de Contingência do Governo Federal.

1
Twitter Reprodução
Anúncio:

Comunidades indígenas amazonenses começaram a receber mais de 60 mil estas básicas por meio de ação emergencial a populações vulneráveis durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), realizada pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

A ação beneficiará cerca de 30 mil famílias amazonenses de 32 municípios localizados nas regiões de Alto Solimões, Manaus, Rio Negro, Vale do Javari e do Médio Purus.

Anúncio:

De acordo com a ministra Damares Alves, o Governo Federal tem somado esforços para combater os efeitos da pandemia. “Esse trabalho conjunto é fundamental para que a gente atenda da melhor forma possível as nossas comunidades indígenas e povos tradicionais. Unidos, não vamos deixar ninguém para trás”, ressaltou.

Nos próximos dias, mais de 36 mil cestas serão distribuídas. No total, a ação prevê a distribuição de 323 mil cestas de alimento ao longo dos próximos meses.

Em maio, foram entregues 43,4 mil cestas de alimentos. As unidades foram para comunidades indígenas e tradicionais localizadas nos estados de Minas Gerais (8 mil), Rio Grande do Sul (9 mil), Paraíba (4,1 mil), Pernambuco (2,8 mil), Bahia (10,5 mil), Alagoas (400), Maranhão (270), Mato Grosso (7,8 mil), Rio Grande do Norte (179), Santa Catarina (210).

Ao todo, serão doados mais de 1,3 milhão de quilos de produtos no Amazonas. Cada cesta é composta, entre outros alimentos, por arroz, leite em pó, macarrão, açúcar, óleo e farinha de mandioca.

Alagoas e Sergipe

Indígenas de Alagoas e Sergipe receberam, nesta quinta-feira (04), 12,3 mil cestas de alimentos. A ação, realizada pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), também faz parte do auxílio emergencial concedido pelo Governo Federal.

Serão entregues 239,6 toneladas de alimentos, distribuídas em 10.890 cestas de 22 kg. As unidades contêm feijão, arroz, farinha de trigo, fubá de milho, açúcar, leite em pó, óleo de soja e macarrão, e cada família recebe duas.

Já em Sergipe, no município de Porto da Folha, a Fundação Nacional do Índio (Funai) e o Exército Brasileiro farão a distribuição de 330 cestas na comunidade indígena Xocó.

De acordo com a ministra Damares Alves, o Governo Federal tem somado esforços para combater os efeitos da pandemia. “Esse trabalho conjunto é fundamental para que a gente atenda da melhor forma possível as nossas comunidades indígenas e povos tradicionais. Unidos, não vamos deixar ninguém para trás”, ressaltou.

Em maio, foram entregues 43,4 mil cestas de alimentos. As unidades foram para comunidades indígenas e tradicionais localizadas nos estados de Minas Gerais (8 mil), Rio Grande do Sul (9 mil), Paraíba (4,1 mil), Pernambuco (2,8 mil), Bahia (10,5 mil), Alagoas (400), Maranhão (270), Mato Grosso (7,8 mil), Rio Grande do Norte (179), Santa Catarina (210).

Nos próximos dias, mais de 36 mil cestas serão distribuídas. No total, a ação prevê a distribuição de 323 mil cestas de alimento ao longo dos próximos meses.

A medida beneficiará cerca de 154 mil famílias em mais de três mil comunidades indígenas espalhadas pelo país e tem o objetivo de assegurar que os índios não precisem sair das aldeias em busca de alimentos.

Doação

Os alimentos foram adquiridos pela Conab com R$ 45 milhões repassados pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, comandado pela Damares Alves. A ação conta com a ajuda logística do Ministério da Defesa.

A distribuição em todo o país mobilizará 39 Coordenações Regionais da Funai, 240 Coordenações Técnicas Locais, 11 Frentes de Proteção Etnoambiental e 20 Bases de Proteção Etnoambiental.

 

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba novidades por e-mail.