Weintraub entrega depoimento por escrito e é saudado por multidão em frente à Polícia Federal

Ministro da Educação foi ouvido sobre acusação de racismo em postagem sobre chineses

3
Anúncio:

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, compareceu à sede da Polícia Federal na tarde desta quinta-feira (04) para prestar depoimento sobre a acusação de racismo devido uma piada, quando insinuou, no início do mês de maio, que os chineses falam como o Cebolinha, personagem da Turma da Mônica.

A piada desagradou a Embaixada da China no Brasil e o embaixador do país, Yang Wanming, chamou o ministro brasileiro de racista.

Anúncio:

Horas antes de comparecer à Polícia Federal, o ministro fez uma postagem, em suas redes sociais, defendendo a liberdade de expressão.

Nas palavras do ministro, “Enriquecimento ilícito, servidor público bilionário e roubar o dinheiro do cidadão, do pagador de impostos, deveria ser o principal crime a constar na Lei de Segurança Nacional. A LIBERDADE de expressão não pode ser violada, sob nenhum pretexto”, escreveu o ministro.

Depoimento

O inquérito tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), sob relatoria do ministro Celso de Mello, e foi aberto a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Weintraub se negou a responder às perguntas da PF e entregou suas declarações por escrito.

O ministro se manifestou por meio de suas redes sociais: “Prestei depoimento à PF, em respeito à Polícia. Fui muito bem recebido pelo diretor-geral Rolando e por toda sua equipe. Agradeço especialmente a você, que me apoia na luta pela LIBERDADE”!, disse ele.

Na saída

Após seu depoimento na Polícia Federal, Weintraub foi recebido por uma multidão que o esperava na porta. Nos braços dos apoiadores, o ministro afirmou

“A liberdade é a coisa mais importante em uma democracia e, a primeira coisa que vão tentar calar, é a liberdade de expressão”.

 

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba novidades por e-mail.