Ação contra fake News é para censurar as mídias sociais, diz Bolsonaro

2
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Anúncio:

Na saída do Palácio do Alvorada, nesta quinta-feira (28), o Presidente da República, Jair Bolsonaro se pronunciou sobre as operações da Polícia Federal da última quarta-feira (27), em que 29 mandados de busca e apreensão foram cumpridos na casa de jornalistas, comediantes, blogueiros e ativistas. Para o presidente, a operação foi um atentado às liberdades individuais e à liberdade de expressão.

Bolsonaro lembrou que foi eleito através das redes sociais. “Essa mídia social me trouxe à Presidência, sem ela não estaria aqui. Não gastei nada, nunca tive nada de recurso para fazer campanha, foi o povo que me colocou aqui”, disse.

Anúncio:

O presidente Jair Bolsonaro disse:

“Mais um dia triste na nossa história, mas o povo pode tenha a certeza, foi o último dia triste. Nos queremos a paz, a harmonia e independência e respeito e a democracia acima de tudo. A liberdade de expressão é algo sagrado entre vocês e também entre a mídia alternativa. Nós não podemos ficar apenas tendo a nossa disposição um lado. A mídia tradicional ou a mídia social. Os dois lados vão conviver. Vou dizer a vocês que inventaram o nome ‘Gabinete do Ódio’. Alguns acreditaram e alguns foram além. Abrir processo no tocante a isso. Não pode um processo começar em cima de um factóide, em cima de uma fake News. Respeitamos os demais poderes, mas não abrimos mão que nos respeitem também. Com todo o respeito que eu tenho a todos os integrantes do Legislativo, do Judiciário e do meu próprio poder. Invadir casas, de pessoas inocentes, submetendo a humilhações perante esposas e filhos, isso é inadmissível. E digo mais, quem conduz as minhas ações é o povo brasileiro. Onde o povo quiser que eu esteje (sic), eu estarei. Dia após dia, o que falavam ao meu respeito, vai por terra.

Vê que realmente que eu tenho, na alma, o espírito da democracia e do respeito ao próximo. Todos nós e nossos poderes, temos aquelas pessoas que extrapolam. Comigo, quando acontece, eu tomo providência. E, espero que aconteça o mesmo com os demais poderes. Trabalhamos ontem, quase o dia todo, voltado para uma causa. Com dor no coração, ouvindo reclamos daqueles que tiveram sua propriedade privada violada. Que não são bandidos, não são marginais, não são traficantes, muito pelo contrário. São cidadãos, chefes de famílias, homem, mulheres, que foram surpreendidos, com a Polícia Federal, que estavam cumprindo ordens, batendo em sua casa”.

“Nunca tive a intenção de controlar a Polícia Federa, pelo menos isso, serviu para mostrar ontem. Mas obviamente, ordens absurdas não se cumprem e precisamos botar um limite nessas questões.”

“Nós estamos com uma coisa bastante grave em nossa frente. Não abrimos mão da nossa liberdade, seja ela qual for. Tenho certeza que a grande maioria dos integrantes dos poderes assim desejam que o Brasil se conduza nessa direção. Um homem sem liberdade não tem vida. E vamos lutar pela liberdade de todos do Brasil, custe o que custar”.

E continuou: “Acabou porra. Acabou. Não da pra admitir mais atitudes de certas pessoas individuais, tomando de forma quase que pessoal certas ações. Nós somos um país livre e vamos continuar livres, mesmo com o sacrifício de nossas próprias vidas” e clama para que Congressistas defendam as liberdades individuais.

Para Bolsonaro, é preciso que as autoridades sejam humildes e corrijam o que, porventura, fizeram de errado. “Eu já errei e me desculpei, os outros devem fazer a mesma coisa. Essa crise, que está aparecendo aí, não interessa para ninguém”, disse, pedindo que “não mergulhem o Brasil numa crise política” e usem “a sua caneta ou seu voto para o bem do nosso país”.

 

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba novidades por e-mail.