Uma reflexão: a SS nazista também cumpria ordens

0
fonte: terça livre
Anúncio:

A imagem que você vê é Allan dos Santos explicando aos agentes federais termos do socialismo e globalismo no qual o Brasil está metido. Às vezes esquecemos como as maiores aberrações são praticadas pelo Estado. O Inquérito 4.781, conduzido pelo Supremo Tribunal Federal na pessoa do Ministro Alexandre de Moraes, é uma destas aberrações. O juiz da Suprema Corte se diz vítima de fake news e portanto manda investigar e ele mesmo expede mandados de busca e apreensão para alimentar o seu próprio processo. Foi assim que Moraes mandou a Polícia Federal, às seis horas da manhã, apreender celulares, notebooks e tablets em 29 localidades nesta quarta-feira (27).

O influenciador digital Bernardo Kuster, a ativista Sara Winter e o jornalista Allan dos Santos, dentre outras vinte e seis pessoas, tiveram que assistir embasbacados os agentes federais caminharem no interior de suas casas perguntando de onde vem o dinheiros deles, se eles fazem memes de internet contra o STF e se faziam parte de uma rede de fake news. O mandado expedido pelo Ministro Alexandre de Moraes nem sequer cita quais os fatos que motivaram aquele escrutínio íntimo dos 29 cidadãos – que incluem deputados e empresários.

Anúncio:

“Estamos apenas seguindo ordens”, disseram os policiais adentrando as propriedades. Seria o famoso: “manda quem pode e obedece quem tem juízo”. Foi num respeito a esta hierarquia que o núcleo de segurança Schutzstaffel – SS seguiu as ordem de Hitler, em 30 de junho de 1934, para eliminar entre 5 mil e 7 mil agentes da Sturmabteilung SA pelo crime de conspiração contra o governo, como contou Winston Churchill na página 58 do livro Memórias  da Segunda Guerra Mundial. A liderança da SA, uma tropa alemã de farda parda, detectou que o Führer estava se desvirtuando dos propósitos e decidiu agir, ao que logo a SS – fiel ao Estado Alemão – decidiu se colocar como defensora do direito de governar do Hitler. 

O incrível no caso brasileiro é que não há uma SA. Temos apenas um grupo de mídias alternativas que vêm denunciando o autoritarismo do Supremo, alguns poucos deputados que se posicionam contra as ações abusivas de governadores e prefeitos nesta pandemia. E um Presidente com alguns poucos ministros – para não dizer dois ou três ministros – que vêm sofrendo todo o tipo de ameaças e ataques por parte da imprensa, magistratura, militâncias e parlamentares ao ponto de ventilar um impeachment porque o Presidente disse “E daí?”. 

Portanto, agentes federais, digo com todo o respeito, pois estou ciente do poder de polícia que vossas senhorias possuem: estejam atentos às ordens e mandados que chegam à mesa. O modelo de Estado que se está a adotar no Brasil não é um “Presidente autoritário” mas, uma cúpula de “notáveis” investidos de juridismos que não respeitam mais os freios e contrapesos. 

Os agentes de ontem chegaram à casa do jornalista Allan dos Santos com armas em punho – destravada, segundo o próprio jornalista – perguntando sobre drogas e armas. O que encontraram? Anotações, livros e rabiscos em papéis de rascunhos e prompt-chats. Ficaram sem entender, aqueles agentes, o que era tudo aquilo. 

– “Isso, senhores policiais, são as estratégias globalistas e socialistas em que o Brasil está metido” diria Allan dos Santos [romantizei a fala]. “Teve um [agente] que pegou os meus rascunhos sobre uns textos do Stalin sobre estratégia e tática. Eles nunca tinham lido aquilo”; uma agente, inclusive, até precisou colocar no Google os termos stalinistas para entender do que se tratava os escritos, disse Allan, na live do Terça Livre da Manhã, aos 50 minutos 35 segundos.

Estavam seguindo ordens, é verdade, e toda a cadeia de comando e corregedorias os obrigam a isso. Porém, aqueles agentes puderam ouvir o alerta mais importante para a vida deles da boca de um jornalista declaradamente defensor do Presidente, quando disse: “quero falar uma coisa para a consciência de vocês: todos os membros da SS nazista estavam apenas cumprindo ordens” (35 min. 50 seg., live da Manhã). O mandado é inconstitucional. E fazer buscas em casa de jornalista nunca foi permitido ao Glenn Greenwald quando esse hackeou o celular de um Ministro da Justiça. Quem dirá um jornalista que simplesmente riu ou debochou das pataquadas dos membros do STF. 

É somente uma reflexão.

Livro: Memórias da Segunda Guerra – V.1 de Winston Churchill

Live da Manhã – A Ditadura do STF – https://www.youtube.com/watch?v=ave18N-2sJQ&t=3056s