Arthur Soares vai entregar propinoduto de Witzel em contratos da pandemia.

Conhecido como ‘Rei Arthur’ nas mensagens do whatsapp, o “chefe do supremo”, se ofereceu para delatar. O governador será alvo de um novo carregamento de provas do empresário.

1
Anúncio:

Citado como ‘chefe do supremo’ nas mensagens do esquema de corrupção que Arthur Soares, o ‘Rei Arthur’, se ofereceu para delatar à Procuradoria-Geral da República, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

Segundo a denúncia, Wilson Witzel teria dobrado a meta quando o assunto é desvio e superfaturamento. Além de um balcão de negócios para cobrar propina de até 30% na liberação de pagamentos atrasados a fornecedores, o governo do Rio de Janeiro teria se superado ao passar a roubar durante a pandemia.

Anúncio:

Já há um inquérito no Supremo Tribunal de Justiça (STJ) sobre desvios na aquisição de insumos na área de saúde relacionados ao governo fluminense. Rei Arthur revelou que os investidores têm elementos para reforçar o apodrecimento da gestão de Witzel no front da batalha do covid-19.

Rodrigo Maia

A PGR está a todo vapor e ninguém ficará de fora. O foco também está no presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

Segundo a Veja, a PGR retomará as investigações contra o parlamentar. O pedido do desarquivamento de fatos envolvendo Maia foi protocolado e a PGR quer analisar os contextos ampliados nas acusações ainda pendentes.

Quem cobrou uma posição da PGR foi o ministro e relator da Lava-Jato Edson Fachin. O decano quer uma posição sobre o inquérito relacionado às delações de executivos da Odebrecht. Além do inquérito da Odebrecht, Maia é alvo de investigação relacionada à empreiteira OAS.

*Com informações da Revista Veja.

 

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba novidades por e-mail.