Flávio Dino (MA) aciona polícia contra grupos de WhatsApp contrários ao isolamento

Os membros do grupo teriam sido acusados por crime de "formação de quadrilha" e "crime contra a Saúde Pública"

2
Anúncio:

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), acionou a Polícia Civil para abrir inquérito de investigação contra membros de um grupo do WhatsApp pelo suposto crime de organizar uma carreata contra as medidas de isolamento social.

Os membros mais ativos do grupo foram convidados a dar satisfações à polícia. Segundo um dos perseguidos pelo governo, eles teriam sido acusados por crime de “formação de quadrilha” e “crime contra a Saúde Pública”.

Anúncio:

“Esse governo comunista é que tá matando […] Fomos intimidados a vir na Polícia porque criamos um grupo de WhatsApp para mostrar a insatisfação com o governo. Fomos tratados como criminosos”, disse um dos membros do grupo do WhatsApp, em canal do Instagram de oposição ao governo.

Segundo informações dos membros do grupo, agentes do governo comunista de Flávio Dino infiltraram-se no grupo para observar as conversas e registrar os membros mais ativos, que foram intimados pela Polícia Civil a prestar depoimento.

Veja abaixo o vídeo dos manifestantes:

 

Flávio Dino foi o primeiro governador do Brasil eleito pelo PCdoB. Quando questionado sobre a sigla carregar o termo “comunista”, respondeu: “eu sou um comunista do século XXI, e não do século XIX”. Não podemos dizer que o governador mentiu.

 

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba novidades por e-mail.