Como jornais inflam números de mortos, favorecem corrupção e ameaçam a democracia

1
Anúncio:

Uma decisão editorial tomada pela ampla maioria dos jornais brasileiros está resultando falsas manchetes para gerar alarmismos a partir de erros grosseiros. Tudo começa com uma confusão entre mortes diárias e confirmações de Covid 19 feita a partir das mortes ocorridas em dias anteriores. Mas não para por aí. Entenda como funciona e por que o artifício favorece os esquemas de corrupção e ameaça a democracia.

Nos últimos dias, uma enxurrada de manchetes davam conta de que o Brasil estaria batendo recordes de mortes por Covid 19, com 600 mortes, depois 615 e, neste sábado, 751 mortes. Mas as próprias matérias, se lidas na íntegra, tratam de desmentir seus títulos quando demonstram que, por exemplo, quando foram confirmadas as "600 mortes em 24 horas", haviam morrido na verdade 25 pessoas naquele dia e 51 no dia anterior.

Anúncio:

A grande sacada sensacionalista deste artifício se baseia na in...

Conteúdo

Clique aqui e desfrute cursos, artigos e estudos exclusivos.
Apoie veículos independentes.


Se você já é assinante faça seu login abaixo: