Amantes e vírus no mundo dos híbridos

0
Fonte: Inside
Anúncio:

Há um fato que devemos considerar sobre os nossos problemas na pandemia, a natureza híbrida deles. O nosso colega de Estudos Nacionais Hélio Costa Jr. trouxe-nos a notícia que está badalando o mundo. Fontes do jornal britânico The Telegraph dão conta de que o cientista Neil Fergurson, sobre quem comentei no blog Teorítica, quebrou o seu isolamento social para se encontrar com sua amante.

É verdade que a notícia não seria digna de uma tirinha de uma revista de fofoca qualquer, mas o sr. Fergurson foi o cientista responsável por atordoar o mundo aconselhando os governos a adotarem o tal distanciamento social horizontal. Agora, ele pede demissão do comitê de emergência inglês apenas lamentando: “decidi me retirar do SAGE, lamento ter prejudicado as ordens do governo”, destaca Fergurson.

Anúncio:

Não sou um entusiasta das ideias do francês Bruno Latour, mas numa coisa ele parece estar certo: os fenômenos híbridos estão proliferando dia após dia com o avançar deste mundo louco. E os ditos cientistas que se arrogam senhores do saber a cada dia provam que nada sabem sobre esse nosso novo mundo e se quer acreditam em suas próprias teorias.

Recentemente comentei a natureza híbrida do vírus chinês, e como seu fio de Ariadne se estende a um núcleo de problemas locais, que os líderes das nações esperam resolver globalmente. Todavia, à medida que os dias se passam outros problemas vão se instalando em nossas vidas espalhando mais e mais os hibridismos.

Uma parte do mundo está esperando a vacina contra o COVID-19, outros estão questionando porque a pandemia não atingiu Pequim. Aqui no Brasil as nossas excelências estão despejando bilhões e bilhões de reais nos estados e municípios sem nenhum respaldo financeiro para “salvar” os cofres públicos, sem questionar as consequências futuras. Estamos tentando resolver todos os nossos problemas de agora empurrando tudo para o futuro.

Poderíamos avaliar o vírus como um fenômeno biológico, se criado num laboratório ou encontrado na natureza não importa, acharíamos um DNA circulando entre nós. Pode ser, também, um vírus político – uma resposta chinesa contra um xeque-mate econômico na disputa com Donald Trump. Talvez podemos pensar o vírus chinês como uma engenharia psicológica em escala colossal que nos enclausura em domicílios.

Seja como for, o vírus chinês é uma destas invenções da sociedade moderna em que é difícil saber o que de fato ele é. Este é o segredo dos híbridos. A sua natureza complexa e sensível. Temos dificuldade de saber se a vacina será uma solução ou uma etapa para o controle social. Não sabemos se as políticas dos governadores e prefeitos são apenas uma reação de despreparados ou uma ação contundente de algum interesse oculto.

Desconfiamos de toda a histeria da extrema-imprensa e dos posicionamentos dos metacapitalistas. Por que não estão preocupados com a retomada da economia? Por que fecharam os observatórios astronômicos do mundo? Desmarcam as consultas médicas nas policlínicas do Brasil devido ao COVID-19, como assim? Por qual motivo? Alguém não está contando tudo, pensamos. Estamos vendo apenas o efeito dos híbridos.

A raiz dos híbridos interliga as ações criminosas de um terrorista congolês aos joguinhos infantis dos nossos smartphones; o laboratório de Wuhan à seca de Caruaru; as tempestades de relâmpagos no rio Catatumbo às fábricas indianas. Tudo está conectado, ação humana e os fenômenos naturais, afinal, embora temos ciência de que a distinção entre ambos seja em termos de finalidade como discutiu Ludwig von Mises, estamos no mesmo mundo terra.

Portanto, quando o sr. Fergurson recebe em seus aposentos a amante, ele não está apenas negando a sua tese epidemiológica que levou milhares a destruição. O sr. Fergurson está comprovando que em se tratando de híbridos os cientistas nada sabem. E a ideia maluca de colocar o vírus chinês sobre controle somente despertou outros híbridos em nosso meio, mesmo aqueles mais naturais ao homem como a fome, a pobreza e a paixão.

**********

A série Into The Night gravado pela Netflix faz um aprofundamento nessa relação de híbridos. Qual a relação entre a escuridão e os impulsos humanos com o fim do mundo?

**********

Fontes

Sobre Neil Fergurson – https://www.estudosnacionais.com/23728/cientista-que-influenciou-adocao-do-lockdown-quebrou-quarentena-para-se-encontrar-com-amante/