Eugenia por aborto: nefasta agenda no STF que precisa ser superada e combatida (Veja testemunho)

0
Fonte: https://www.nytimes.com/2019/05/20/books/review/guarded-gate-daniel-okrent.html
Anúncio:

O simples fato do Supremo Tribunal Federal (STF) ter aceitado julgar a ADI 5581, que pede o aborto para grávidas infectadas por zika vírus, alimenta o pensamento nefasto da eugenia, que vitimou milhares de pessoas na época do nazismo e lamentavelmente continua presente na sociedade, entre os desejos inconfessáveis de muitos eugenistas que sonham com uma sociedade de “pessoas perfeitas”.

O julgamento que o STF marcou para o dia 24/04 poderá decidir que grávidas infectadas por zika podem matar seus bebês ainda em gestação para evitar que tenham que conviver e cuidar de filhos portadores de deficiência. Há décadas, bebês são exterminados por terem síndrome de Down ou até mesmo lábio leporino, em países como Islândia e Inglaterra. Esses absurdos são feitos com motivação inconfessável nesses países, mas aqui no Brasil, a ação que o STF julgará dia 24 é algo pior do que isso, pois confessa-se o intuito eugenista. Eventual decisão favorável à ADI 5581 dia 24/04 significaria a legalização da nefasta idelogia eugênica no Brasil por meio do Supremo Tribunal Federal.

Anúncio:

A mazela da mentalidade eugênica precisa ser superada

Infelizmente, algumas pessoas ainda hoje nutrem pensamentos eugênicos no Brasil, talvez como resquícios das influências nazistas e eugenistas do século XX, mas isso pode ser superado, como ilustra a história de vida da famílai do Sr. José Albino, do município de Gravatal, SC. Seu testemunho é comovente, mas revela a eugenia inclusive na mente de médicos no Brasil. Sua filha poderia ter sido abortada por recomendação médica eugenista e ilegal, porque sua esposa teve rubéola na gravidez.

Minha esposa teve rubéola na gravidez. Fomos orientados a praticar o aborto porque o risco era grande do bebe vir com sequelas. Colocamos na mão de Deus e veio uma filha linda e muito inteligente. Escrevi a canção quando ela nasceu e só depois de 21 anos na formatura dela, há quase dois anos que fiz o vídeo e rodou na formatura dela. (José de Oliveira Albino, Gravatal, SC).

Como demonstrado em Nota Técnica pelo Dr. Raphael Câmara, a ADI 5581, do aborto em caso de infecção por zika, abre o precedente para que seja liberado também o aborto em caso de grávidas infectadas por rubéola e outras infecções que podem, talvez, gerar sequelas nos bebês.

A mesma Suprema Corte que para defender o aborto cita estudos do Instituto Guttmacher, que leva o nome de Alan F. Guttmacher, ex-presidente da Sociedade Americana de Eugenia e da maior clínica de abortos do mundo, agora julgará se possíveis portadores de microcefalia terão direito de nascer.

Mais de 80 mil pessoas já assinaram uma petição online contra a liberação da eugenia no Brasil por meio da ADI 5581 via STF. Clique aqui e assine.

Assista ao vídeo da bela canção composta em comemoração e testemunho da superação da família do Sr. José de Oliveira, que disse sim à vida e não à eugenia.