China impede que cidadãos conversem com estrangeiros em jogos de videogame online

1
ANTHONY WALLACE/via Getty Images
Anúncio:

O jornal Taiwan News denunciou que o Partido Comunista da China tomou outra medida totalitária contra os cidadãos chineses. Dessa vez, a ação arbitrária visa desconectar os jogadores online do mundo exterior, impedindo-os de usar os chats disponibilizados nos jogos de vídeo-game.

“Os comunistas chineses não podem suportar esse nível de interação social entre seus cidadãos cativos e o resto do mundo, pois podem começar a discutir tópicos proibidos, como Hong Kong ou a culpabilidade do PCC pela pandemia de coronavírus”, notou o Breitbart.

Anúncio:

A matéria do Taiwan News esclareceu que, no último dia 10, a China baniu um jogo de simulação social, onde jogadores podiam criar uma casa e interagir com outros moradores. Em uma cena do jogo, usou-se a frase “Free Hong Kong” (Hong Kong Livre) e fez-se chacota com o presidente chinês Xi Jinping.

(Cena do game “Animal Crossing”. No canto superior direito, a foto do presidente Xi Jinping)

O Partido Comunista Chinês vê, em jogos desse tipo, onde se pode interagir livremente trocando informações com outros jogadores, um claro vácuo de monitoração estatal, o que sujeita até os games ao controle e repressão.

“As metrópoles locais estão lutando para redigir leis para expandir o escopo da censura on-line em videogames e até mesmo proibir os jogadores de conhecer e conversar com pessoas do outro lado do Grande Firewall”, disse o Taiwan News.

Ainda segundo a reportagem, mesmo os jogos one-player, em que não há pessoas interconectadas, serão devidamente monitorados se de alguma forma não se adequarem às regulações estatais.