Governo de Dória abre brechas para falso aumento nos registros de óbitos por Covid-19

"Qualquer cadáver, independentemente da causa da morte ou da confirmação de exames laboratoriais deve ser considerado um portador potencial de infecção por Covid-19", diz resolução.

5
O governador de São Paulo, João Doria, fala à imprensa, após encontro com o presidente em exercício , General Hamilton Mourão
Anúncio:

O governador João Dória determinou mudança no modo de registro das mortes por Covid-19 e ela pode abrir brechas para o aumento artificial dos casos, pois considera infectados todos os mortos suspeitos, independente da causa da morte e de exames.

Diz o trecho da resolução:

Anúncio:

“segundo órgãos da Saúde Pública, durante a situação de pandemia, qualquer cadáver, independentemente da causa da morte ou da confirmação de exames laboratoriais deve ser considerado um portador potencial de infecção por Covid-19;”

A resolução foi publicada no Diário Oficial do Estado, nesta sexta-feira, põe como potenciais infectados qualquer morte ocorrida em tempo de pandemia, o que contribui para o aumento da sensação de pânico que vem sendo gerada pelas notícias.

De acordo com o governo Dória, as regras são para “resguardar a saúde dos servidores da perícias criminal oficial, quanto para reduzir as possibilidades de contágio e disseminação da doença”.

Os números da Itália já vêm sendo contestado por estudo de Oxford devido o método utilizado, que acaba abarcando mortos de outras comorbidades. O estudo sugere que apenas 12% dos mortos na Itália têm relação comprovada com o vírus chinês, sendo que outros 88% teriam a presença do vírus, sem causalidade direta comprovada.

Estudo de Oxford contesta dados da Itália sobre mortes por coronavírus