Bolsa Família terá número recorde de 14,3 milhões de beneficiados em abril

Anuncio foi feito após reuniões entre presidente Jair Bolsonaro, autoridades federais e governadores.

0
Anúncio:

Em abril, o Programa Bolsa Família atingirá um patamar histórico. O Governo Federal anunciou na última segunda-feira (23) que o programa chegará a 14,3 milhões de famílias no próximo mês.

A inclusão de 1,2 milhão de novas famílias foi possível a partir da injeção de R$ 2 bilhões da União no Ministério da Cidadania, como uma das medidas para combater a pandemia do vírus chinês.

Anúncio:

“Neste mês, vamos inserir mais 1,2 milhão de famílias no programa. Com isso, no mês de abril, teremos um número que nunca existiu, de 14,3 milhões de famílias atendidas. O programa é aquele que permite rapidamente colocar condições de melhor enfrentamento à crise, principalmente para os mais vulneráveis”, afirmou o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, em evento no Palácio do Planalto. O anúncio veio após reuniões entre o presidente Jair Bolsonaro, autoridades federais e governadores das regiões Norte e Nordeste.

Onyx também anunciou uma série de outras medidas conectadas à pasta da Cidadania. Uma delas é um aporte R$ 200 milhões para o Sistema Único de Assistência Social (SUAS).  “Nós já pagamos hoje R$ 100 milhões, que é o que está pactuado pelo SUAS. Até o fim da semana o ministério da Economia deve transferir mais recursos e a gente deve pagar uma segunda parcela de quase R$ 100 milhões”, afirmou Lorenzoni.

“É muito importante que os CRAS não fechem. Homens e mulheres que trabalham na Assistência Social são soldados importantíssimos da prevenção nessa guerra contra o Covid-19. É fundamental que a gente possa levar orientação, como disse o ministro Mandetta”, afirmou, em referência ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Os idosos têm prioridade na políticas e ações que o Governo Federal está liderando. Segundo o ministro: “Estamos trabalhando num reforço nutricional e proteico para os idosos, que vamos anunciar brevemente. Estamos concluindo esse planejamento. Da mesma maneira, os municípios devem manter o sistema de assistência social em alerta permanente, visitando e orientando asilos e instituições de longa permanência. Temos no Brasil em torno de 1.973 dessas instituições, quer estejam no BPC ou em outros programas de sustentação”.

“Isso também é importante para os mais vulneráveis, aqueles que não têm família. É necessário que os sistemas de voluntariado se apresentem nos municípios em concatenação com o sistema de assistência social para levar alimentos e material de higiene para essas pessoas. Temos de ter clareza de que precisamos, ao proteger os nossos idosos, mantê-los sem circulação e dar a eles a condição de não se contaminar”, completou.

Outra frente de atuação do governo federal é a população de rua. O governo manterá o foco na assistência nas cidades com mais de 500 mil habitantes, principalmente diante das políticas de restrição social adotadas. “No momento em que as cidades foram travadas, com a questão da não atividade econômica, o que ocorre? Essa população muito vulnerável precisa ter um atendimento”, indicou Onyx.

Na última sexta-feira, o ministro já havia publicado a Portaria nº 335, que estabelece medidas emergenciais para o Bolsa Família, como a suspensão, pelo prazo de 120 dias, de bloqueios, suspensões e cancelamentos de benefícios e da averiguação e revisão cadastral.

*Com informações da Assessoria de Comunicação do Ministério da Cidadania

 

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba novidades por e-mail.