ONGs pedem que Maia declare repúdio a Bolsonaro e elogie o jornalismo

Como o dinheiro internacional está jogando Legislativo contra Executivo no Brasil

1
Anúncio:

Com a justificativa da defesa da liberdade de imprensa, entidades globalistas financiadas principalmente por Fundação Ford e Open Society tiveram um encontro com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, na última quarta-feira (11), em Brasília. As entidades pertencem ao mesmo grupo que pediu apoio da ONU contra Bolsonaro no mês de março.

Os grupos que recebem dinheiro internacional exigem de Maia declarações públicas contra o Executivo e punições de responsáveis por “ataques” a jornalistas nas redes sociais.

Anúncio:

Estavam presentes a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Intervozes, Conectas Direitos Humanos e Artigo 19, todas elas apoiadas e financiadas pelos mesmos grupos internacionais que impulsionam financeiramente causas como o aborto, a ideologia de gênero, políticas migratórias na Europa e EUA, audiência de custódia, além de outras políticas públicas que fomentam o conflito social em países em desenvolvimento.

O deputado Rodrigo Agostinho (PSB-SP) articulou o encontro e acompanhou as entidades durante a reunião.

Todas as entidades presentes são conhecidas por fazer grande oposição ao governo e à liberdade de expressão nas redes sociais, embora mantenham imagem de respeito às liberdades e instituições.

Em um contexto de crise brutal da credibilidade, em que os jornais perdem leitores para a mídia independente e redes sociais, os ativistas pedem a Maia que faça declarações públicas elogiando o papel do jornalismo da grande mídia.

As entidades se dizem preocupadas com “preocupadas com a escalada de ataques de autoridades a profissionais da imprensa” e dizem defender “a liberdade de imprensa e o direito à informação como pressupostos para o Estado de Direito e o respeito às instituições democráticas”. Eles destacaram como vítimas dessa escalada, jornalistas como Vera Magalhães e Patricia de Campos Mello, ambas opositoras ao governo e por isso enfrentando grande reação nas redes sociais.

De acordo com o site Congresso em Foco, no encontro, Maia ressaltou que os ataques que Bolsonaro faz à imprensa repercutem negativamente no cenário internacional.

Os grupos também pediram para que Rodrigo Maia condene “de forma pública, inequívoca e sistemática qualquer forma de violência e ataques contra comunicadores e encorajem as autoridades competentes a agir com a devida diligencia e rapidez na investigação dos fatos e na punição dos responsáveis”.

 

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba novidades por e-mail.

 

1
Deixe um comentário

avatar
8000
1 Tópicos de comentários
0 Respostas em tópicos
2 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Comentário mais polêmico
1 Autores dos comentários
Elisabete Autores de comentários recentes
  Notifique-me  
newest oldest most voted
Notificar de
Elisabete
Visitante
Elisabete

O dia que a imprensa respeitar o nosso presidente e seus eleitores, ela terá o nosso respeito. Nós vivemos numa democracia, mas temos hierarquia, e nosso presidente tem que ser tratado com respeito. Esse comportamento da imprensa, dá o direito a qualquer cidadão de desrespeitar a imprensa, e esse ciclo não acaba nunca.