Bebês são abandonados vivos após abortos em hospitais dos EUA, conta enfermeira

2
Anúncio:

O depoimento de uma enfermeira que atuou em um hospital no estado do Illinois, Estados Unidos (EUA), gravado em 2013, revela a perversidade das cenas que se passam em hospitais onde se realizam abortos.

A enfermeira Jill Stanek narra um caso em que ela presenciou e chegou a segurar um bebê que sobreviveu a um aborto feito em uma gestação de cerca de 20 a 22 semanas, idade gestacional onde se realizam abortos no Brasil em hospitais públicos sob prerrogativas específicas como caso de estupro. Devido ao avançado estágio de desenvolvimento, o bebê se apresenta vivo após o aborto, e teria grandes chances de sobrevivência se lhes fosse garantido cuidados hospitalares adequados. Porém, como se trata de um abortorio, é negada a assistência ao bebê e ele é literalmente largado a espera da morte.

Anúncio:

O vídeo foi gravado em 2013, mas voltou a circular no Brasil nas últimas semanas e por conta disso a equipe Estudos Nacionais resolveu inserir legendas em um dos vídeos disponíveis na internet. Confira a seguir:

Leia também:

Democratas barram Lei de Proteção a bebês sobreviventes de abortos

Ainda sem revogação, Norma Técniac do PT mantém abortos em alta na gestão de Henrique Mandetta

 

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba novidades por e-mail.