Esquerda espanhola cria “espaços sem judeus” em 58 cidades

Movimento visa boicotar empresas, profissionais, artistas e tudo o que se relacionar ao povo judeu

16
Demonstrators shout slogans during an anti-Israel protest in front of the foreign ministry in Madrid May 31, 2010. Israeli marines stormed a Turkish aid ship bound for Gaza on Monday and 10 pro-Palestinian activists were killed, triggering a diplomatic crisis and plans for an emergency session of the U.N. Security Council. REUTERS/Andrea Comas (SPAIN - Tags: CIVIL UNREST POLITICS)
Anúncio:

Em 58 cidades espanholas, governadas pelos partidos de esquerda Podemos, IU e PSOE, estão vigorando os chamados “Espaços Livres de Apartheid Israelense” (ELAI), movimento que visa boicotar empresas, profissionais, artistas e tudo o que se relacionar ao povo judeu.

As moções desrespeitam as leis que protegem judeus contra a discriminação, mas mesmo assim foram aprovadas nas cidades lideradas pelos três principais partidos de esquerda do país. O crescimento do antissemitismo na Europa está intimamente ligado com a campanha pró-imigração, já que seus defensores são os mesmos que criticam Israel e apoiam radicalismos islâmicos.

Anúncio:

Na divulgação da campanha, no site Boicotisrael.net, os argumentos fazem questão de se autointitular “anti-racistas”, já que é um protesto contra o muro construído entre Israel e a Palestina. Os ativistas questionam o direito de Israel separar-se dos povos palestinos, mesmo diante de ataques terroristas contra o país vindos das áreas palestinas, onde atuam inúmeras células terroristas que desejam a extinção do Estado de Israel.

Na prática, judeus e entidades ligadas a Israel estão sendo discriminadas e expulsas da cidades europeias que aderem à campanha, que lembra a macabra perseguição aos judeus na Alemanha nazista.

As decisões políticas que restringem os acordos comerciais com israelenses têm sido aplicadas desde 2015. Nos documentos, se impunha o reconhecimento de um Estado Palestino pelos artistas da famosa companhia Mayumana, se eles quisessem ser contratados ou ter um teatro público para o seu musical, informou o site da revista Bras.il.

Essas restrições não ocorrem apenas em pequenas cidades despovoadas. O ELAI também está presente em cidades como Cádiz, Barcelona, ​​Pamplona, ​​Valência, Gijón, Santiago de Compostela, Rivas-Vaciamadrid e Gran Canaria.

As intenções das políticas locais foram concretizadas, dando origem a episódios anômalos e discriminatórios em uma democracia liberal como a espanhola. Assim, o prefeito de Cádiz, José María González, também conhecido como Kichi, cancelou um ciclo de filmes israelenses depois de ingressar na rede ELAI. Ele fez isso abertamente e disse que o conselho da cidade não contrataria ninguém de Israel para nenhuma atividade. Kichi negou que ele fosse “xenofóbico” porque estava lutando precisamente “contra a xenofobia dos israelenses”, informou o site.

 

Inscreva-se em nossa Newsletter e receba novidades por e-mail.

 

16
Deixe um comentário

avatar
8000
8 Tópicos de comentários
8 Respostas em tópicos
5 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Comentário mais polêmico
14 Autores dos comentários
JOVERSI XAVIER FERREIRA JUNIORMaurício E.Lolly BaccoAntónio NobreJanine Alves Machado Luciano Autores de comentários recentes
  Notifique-me  
newest oldest most voted
Notificar de
Rosemary Silva
Visitante
Rosemary Silva

Isso é segregação, como os nazistas faziam. Coisa horrível!

Pedro Paulo
Visitante
Pedro Paulo

Notícia de 2010! Não sou antisemita mas esse fato tem alguma relação com os dias de hoje?

Se tiver ,então, que coloque porque eu colaboro na divulgação!

Viva Israel!

Lucs
Visitante
Lucs

Prezado, a foto é de 2010, mas os “Espaços Livres de Apartheid Israelense” estão em vigor?
Se sim, a notícia é atual, sim…

Claude Hasson
Visitante
Claude Hasson

Não existe Apartheid em Israel ! Vivem em Israel 3000.000 de Árabes muçulmanos. Eles tem cargos públicos, são juizes, deputados, embaixadores de Israel, professores universitários e estudantes. Nenhum deles aceitaria ir viver num país árabe, principalmente as mulheres e gays…… Você aderiu ao antissemitismo. Vá visitar Israel e conferir

Eduardo Martim
Visitante
Eduardo Martim

Viva cada um no seu lugar!
Casa cheia…todo mundo dorme em pé. Os países ricos que melhorem a situação de vida do lugar afetado.
Mas dindim ninguém quer soltar…só blá blá blá! Cada um no seu espaço. O mundo é grande, oras.

Janine Alves Machado Luciano
Visitante
Janine Alves Machado Luciano

Eu acho que se dessem dinheiro, seria muito MELHOR . Cada povo ficava no país próprio. A Europa vai ser dominada pelos arabes muculmanos e terroristas . A cultura europeia vai acabar.

Rosane
Visitante
Rosane

Pedro Paulo, infelizmente isso é cada vez mais real. O antissemitismo vem crescendo na Europa e nos EUA, utilizando a propaganda nos mesmos moldes que o regime de Hitler. Só mudaram os canais de comunicação, obviamente. Quem conhece Israel, sabe que é um país extremamente democrático e que recebe a todos abertamente, contanto que não ofereçam um risco à segurança do país.
Posso dizer isso porque vivi em Haifa, onde metade da população é árabe – cristãos e muçulmanos. São cidadãos israelenses com os mesmos direitos e deveres de um cidadão judeu.

Janine
Visitante
Janine

De pleno acordo

JOVERSI XAVIER FERREIRA JUNIOR
Visitante
JOVERSI XAVIER FERREIRA JUNIOR

“Se os palestinos baixarem as armas, haverá paz. Se os israelenses baixarem as armas, não haverá mais Israel”.
Golda Meir.

Ben Dover
Visitante
Ben Dover

Materiazinha tendenciosa, falaciosa e imprecisa. Não duvido que seja . boomerzinho por trás.

Ênio
Visitante
Ênio

O cristianismo foi a maior praga que existiu, pois é uma religião intolerante, perseguidora, torturadora pra quem pensa difetente. Uma religião que faz conversões forçadas, mata gente na fogueira e faz torturas com requintes de vrueldade não merece respeito. Os cristãos são soberbos, se acham os melhores que os outros,
e que qualquer outra religião não merece existir. Isso é soberba

António Nobre
Visitante
António Nobre

Mas foram os semitas os primeiros a perseguir de forma maquiavélica, outras religiões. E continuam.

Maurício E.
Visitante
Maurício E.

Para falar esse monte de bobagens acredito que nem alfabetizado você deva ser e ainda por cima vem falar de soberba! Pois o que você demonstra aqui em abundância, além de uma ignorância gritante, é a mais completa e profunda soberba. Sua arrogância, bufonaria, desdém, egoísmo e empáfia é a própria soberba! Em todo o caso, talvez por pura piedade cristã, vou recomendar que leia (ou peça para alguém ler para você), o livro “As Grandes Mentiras sobre a Igreja Católica”, de Alexandre Varela e Viviane Varela. Quem sabe você ainda não consegue salvar a sua alma?