Portal Vermelho destaca volta do stalinismo na Rússia

2
Anúncio:

O site de extrema-esquerda Vermelho destacou o aumento da admiração pela figura de Josef Stalin, na Rússia. Trata-se do resultado de uma pesquisa feita pela BBC, em que 51% dos russos dizem admirar o ditador comunista que viveu entre 1878 e 1953, responsável pelo período mais nacionalista e sanguinário da URSS. A matéria foi publicada no momento em que o governo Bolsonaro vem sendo atacado pela mídia de esquerda por meio de associações com o nazismo.

De acordo com a matéria, 70% dos russos afirmam que sua atuação foi “positiva”.

Anúncio:

A admiração pelo líder sanguinário que massacrou os ucranianos em Homolodor, é uma tendência respaldada também por um estudo do VtsIOM (Centro Russo de Pesquisas de Opinião Pública). Uma fatia crescente dos russos consideram o legado stalinista como positivo. Em Moscou, essa admiração encontra eco em intelectuais e historiadores do país.

A volta de Stalingrado

Desde outubro de 2012, uma organização civil chamada Sindicato dos Cidadãos Russos recolhe assinaturas para devolver a Volgogrado o nome pelo qual a cidade se tornou célebre em todo o mundo: Stalingrado. Ali, durante a Guerra Civil que se seguiu à Revolução Bolchevique de 1917, Stalin conduziu o Exército Vermelho. Essa foi a época em que morreram cerca de 10 mil pessoas no terror revolucionário. Ao todo, estima-se que 100 mil pessoas tenham sido executadas por motivação política.

Os horrores da revolução parecem não inibir os russos a demonstrar sua admiração ao revolucionário, talvez devido o ressurgimento de ideologias neofascistas que se assemelham às doutrinas marxistas. As mortes e execuções da revolução não parecem assustar os mais jovens. O historiador britânico Orlando Figes, autor do livro “A tragédia de um povo: A Revolução Russa, 1891-1924”, diz que, em algumas cidades, houve registros de escalpelamentos, empalamentos e fogueiras humanas.