Ator de Star Trek diz que nova série da saga terá críticas implícitas a Trump e Brexit

4
MARCO GROB FOR VARIETY

Patrick Stewart, ator que dá vida ao capitão Jean-Luc Picard na série Star Trek, deu indícios de que a famosa história de ficção científica tomará uma forma de crítica do atual momento político americano também.

Stewart descreveu as organizações fictícias, agora anos depois dos eventos de “Star Trek: A Próxima Geração”, como irremediavelmente corruptas e cruelmente “isolacionistas” diante de uma “crise galáctica de refugiados”.

Patrick Stewart pretende, todavia, colocar sua crítica política dentro do personagem Jean-Luc Picard, “como uma maneira de injetar parte de sua própria virtude em um mundo dilacerado pelo Brexit e pelo presidente Donald Trump”, disse o ator à revista Variety.

E acrescentou:

“Picard é eu respondendo ao mundo de Brexit e Trump e sentindo: ‘Por que a federação não mudou? Por que a Frota Estelar não mudou? Talvez eles não sejam tão confiáveis como todos pensávamos.”

4
Deixe um comentário

avatar
4 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
RodrigoMíriamBrunoAntoniel Mendes Recent comment authors
  Subscribe  
Notify of
Antoniel Mendes
Visitante
Antoniel Mendes

Mais um riquinho que tem certeza de ter um pensamento iluminado que deve se sobrepor à vontade dos povos.

Bruno
Visitante
Bruno

Tudo que sai de Hollywood agora é isso.
E tudo que sairá nos próximos 5 anos também vai ser.
O próximo Matrix também só vem pra lacrar.
E por isso vão perder pra China comunista até na cultura.

Míriam
Visitante
Míriam

Então já era. Vais ser um fracasso.

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Tomara que a série seja um fracasso comercial retumbante. Na maioria das vezes, quem lacra não lucra. Os progressistas falam do Trump, do Brexit e de tantas outras pessoas e o movimentos conservadores ou de direita como se fossem coisas autônomas impostas por uma força invisível desconhecida; e não a expressão da maioria da vontade popular, que é o que sustenta tais pessoas e movimentos. A repulsa maior à lacrosfera não é pelo ad hominem, mas pelo desprezo à vontade maioria popular. Progressistas tomaram para si o título de procuradores da vontade alheia.