Dirceu (PT) defende uso de espionagem para a retomada do poder

0
Anúncio:

José Dirceu, ex-ministro de Lula e nome chave do PT que já foi preso quatro vezes por corrupção entre 2013 e 2018, propôs, em palestra na CUT (Central Única dos Trabalhadores) a criação de um grupo nomeado de “Rede Nacional de Inteligência Cidadã”, formada por militantes de esquerda, integrantes de movimentos sociais e qualquer um que se identifique com a esquerda.

De acordo com Dirceu, a Rede será destinada ao monitoramento de informação e contraespionagem, com a finalidade de contrapor as Forças Armadas e a polícia, além de fazer frente às ações dos militantes de direita nas redes sociais.

Anúncio:

De acordo com informações da revista Crusoé, Dirceu falou do plano durante uma palestra intitulada “Os militares e a política”, em meio ao lançamento do livro, Inteligência Estratégica e Segurança Cidadã, escrito pelo advogado e ex-guerrilheiro Acilino Ribeiro, que participou da luta armada no Brasil e em outros países da América Latina, Ásia, África e Europa. Ribeiro também fez treinamentos em vários países, incluindo a Líbia. O livro foi prefaciado por Dirceu.

O livro trata da “inteligência estratégica aplicada à defesa do Estado, à proteção da sociedade e à segurança dos movimentos sociais” e o evento deu espaço para Dirceu explanar sobre a importância de militantes de esquerda estudarem inteligência e espionagem e criarem mecanismos para colocarem a aprendizagem em prática, principalmente se o PT voltar ao poder.

Crusoé destaca: “Não quero cometer um segundo erro e me arrepender como fiz no governo do presidente Lula, quando me recusei a acompanhar as questões da inteligência e contrainteligência da Abin e no Gabinete de Segurança Nacional”.

Retomada do poder

Durante a corrida eleitoral de 2018, Dirceu falou, em entrevista ao jornal de esquerda El País que “É uma questão de tempo pra gente tomar o poder. Aí nós vamos tomar o poder, que é diferente de ganhar a eleição” e profetizou que Bolsonaro não ganharia a eleição. Ele errou!

Já em novembro de 2019, após sair da prisão, beneficiado pelo fim da prisão em segunda instância, José Dirceu se encontrou com Lula, em Curitiba e afirmou que “para o PT retomar o poder, precisa deixar claro que é de esquerda e socialista”. No mesmo dia, em companhia do deputado estadual e patrão do filho caçula do Lula, Luiz Cláudio, Emídio de Souza, José Dirceu agradeceu à militância petista e fez um apelo para trocar a bandeira “lula livre” em nome da retomada do poder.

De acordo com a revista Veja, José Dirceu afirmou que “Eu estava na trincheira da prisão. Agora estou aqui de novo na trincheira da luta. Agora não é do Lula Livre. Agora é para nós voltarmos e retomarmos o governo do Brasil. E para isso nós precisamos deixar claro que nós somos petistas, de esquerda e socialistas. Nós somos tudo o contrário do que esse governo está fazendo. Uma boa noite para vocês, viu”.