Candidato à presidência americana, Joe Biden, flerta com a pedofilia

5
Anúncio:

O ex-vice-presidente e atual candidato à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden (Democratas), se gabou em um evento de 2017, sobre a época em que deixava as crianças brincarem com seus “pelos molhados das pernas”, quando trabalhava como salva-vidas, de acordo com um vídeo recentemente ressurgido no portal Breitbart.

Anúncio:

Recentemente Bidem teve a Comunhão negada por um sacerdote que o acusou de abortista.

Conhecido por agradar os eleitores com declarações confusas e muitas vezes inapropriadas, Biden contou a história sobre seus “pelos da perna” ao participar de uma cerimônia que renomeia uma piscina comunitária em sua homenagem em Wilmington, Delaware.

Na época, Biden havia acabado de deixar a vice-presidência, e a cerimônia foi vista pelas autoridades da cidade como uma maneira de reconhecer sua longa carreira no serviço público. O evento, no entanto, rapidamente tomou um rumo estranho quando o ex-vice-presidente de 74 anos de idade começou a compartilhar histórias de sua juventude, particularmente seu tempo como salva-vidas na piscina  (que era nomeada em sua homenagem).

“A propósito, você sabe, eu me sento na bancada e fica quente”, disse Biden, ladeado por crianças da comunidade local. “Eu consegui muito, tenho pernas peludas que ficam loiras ao sol, e as crianças costumavam subir e chegar à piscina e esfregar minha perna para que ficasse reta e depois assistir os pelos voltar a subir. Eles ficavam olhando isso.” O ex-vice-presidente acrescentou que aprendeu “sobre crianças pulando no colo”, além de ter trabalhado com alguns “bons homens” na piscina. “E eu amei as crianças que pulavam no meu colo”, disse Biden no evento, apontando para uma das crianças ao seu lado. “E eu lhe digo: os homens agora são todos homens. Os caras com quem trabalhei aqui em baixo são homens da época, todos são bons homens”

*Breitbart

Siga Estudos Nacionais no Twitter e no Facebook 

Veja também: Amazônia: Após governador trocar delegado, Justiça liberta suspeitos de queimadas