Amazônia: Após governador trocar delegado, Justiça liberta suspeitos de queimadas

18
Helder Barbalho/Imagem Agência Brasil

Helder Barbalho, governador do Pará, substituiu o delegado responsável pelo inquérito policial que investiga os responsáveis pelos incêndios na Área de Proteção Ambiental (APA) Alter do Chão, em Santarém, no Pará, em setembro deste ano.

Assista: acusados de atear fogo na floresta soltos após interferência do governador 

Em vídeo, o governador alega preocupação com o caso que resultou na prisão de quatro brigadistas.

A Polícia Civil havia prendido os dirigentes da ONG Brigada de Incêndio Florestal de Alter do Chão, acusados de incendiar a floresta para se autopromover, recebendo, assim, financiamentos para atuar no combate aos focos de incêndio.

O governador disse estar preocupado com a situação:

“Gostaria de dizer da minha preocupação com o episódio ocorrido em Santarém e que resultou na prisão de quatro pessoas. Prisão esta [resultante da] investigação da Polícia Civil e da decisão e determinação da Justiça. Por isso, determinei que houvesse a mudança do presidente do inquérito”,

Sem explicar o motivo da troca de delegado, Barbalho disse que:

“O caso requer atenção e toda a transparência necessária. Ninguém está acima da lei, mas, ao mesmo tempo, ninguém pode ser vítima de prejulgamento ou ter seu direito à defesa cerceado. A minha preocupação é com a Amazônia. É com o direito das pessoas. E, acima de tudo, que o Estado possa cumprir de maneira efetiva e transparente os interesses e a defesa da nossa sociedade”.

Após a mudança de delegado, a Justiça do Pará determinou que os quatro brigadistas presos, acusados de atear fogo na mata, fossem soltos. Segundo a Agência Brasil, pessoas próximas aos acusados confirmaram que eles já estão em liberdade.

Processos contra Helder Barbalho 

Ano passado, o governador foi acusado pelo Ministério Público do Pará, por envolvimento em casos de corrupção. Helder Barbalho é citado nas interceptações telefônicas da operação Gramacho, que investiga os danos causados pelo lixão na região metropolitana de Belém. Em nota, Helder alegou que a acusação “é descabida”.

Outra acusação contra o governador é referente a uma delação da Odebrecht, acusando Helder Barbalho de receber R$ 1,5 milhão em campanha 2014.

Governador contratou médico condenado por crime ambiental (crime de incêndios florestais)

No início deste ano, Barbalho contratou o médico Cleostenes Farias do Vale, (Doutor Farias), como chefe do 10º Núcleo Regional da Secretaria de Estado de Transportes (Setran), com sede no município de Alenquer, região oeste paraense.

Doutor Farias foi condenado pela justiça por crime ambiental, por ter desmatado 43,66 hectares de floresta nativa, na gleba Camburão, município de Alenquer.

 

Siga Estudos Nacionais no Twitter e no Facebook 

Veja também: Polícia: ONGs incendiaram a Amazônia

 

18
Deixe um comentário

avatar
17 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
18 Comment authors
AnisioRodrguesAlmanakut BrasilElianadgouveia6@gmail.com Recent comment authors
  Subscribe  
Notify of
José Canuto
Visitante
José Canuto

Tem cheiro de quem está envolvido.
Sendo filho de quem é, não é de confiança.
Não foi ele e outros governadores que foram se vender ao LACRON????

CARLOS FERREIRA
Visitante
CARLOS FERREIRA

Não tenho dúvidas nisso o interessante que existem provas cabais a polícia civil do Pará conseguiu o que a PF não conseguiu. Quem estão encobrindo ? O sobrenome do governador é forte na corrupção e tomara que filho de peixe não é. O estranho que um ótimo trabalho ele troca o delegado muito estrando.

Dione Sarmanho
Visitante
Dione Sarmanho

Seu desgovernador, me engana que eu gosto!!! 🙋

Ernani
Visitante
Ernani

Tenho pena do nosso presidente, pois além de lutar contra uns alienados eleitores. Ainda tem que enfrentar os eleitos pelo povo, que só estão atrapalhando o Brasil, e como para eliminar estes crancos ainda faltam três anos, somos obrigados a ver e ouvir estes absurdos.

Paulo
Visitante
Paulo

Tal pai, tal filho. A sociedade não aprende, continua escolhendo esta corja que não se cansa de roubar e prevaricar. Nasceram para o mal. Que seu dia chegará, apesar do aparelhamento do estado canhoto, não tenho dúvida. Seu dia há de chegar.

Rosimeire
Visitante
Rosimeire

Estamos rodeados de bandoleiros , é a raposa cuidando do galinheiro nesse nosso país! Político deveria administrar e não interferir na justiça, bando de vagabundos!