Ataque da Globo a Bolsonaro foi baseado em mentira de porteiro

2
O presidente Jair Bolsonaro participa da solenidade de posse do diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem
Anúncio:

O porteiro do Condomínio Vivendas da Barra, no Rio de Janeiro, mentiu em depoimento à Polícia Civil, sobre Jair Bolsonaro ter recebido a visita de Élcio de Queiroz, que é suspeito de envolvimento na morte de Marielle Franco.

A procuradora do Ministério Público Simone Sibilio informou que quem autorizou a entrada de Élcio no condomínio foi Ronnie Lessa (suspeito de ter feito os disparos contra Marielle). Simone é Procuradora no MP e chefe do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO). 

Anúncio:

A procuradora declarou que o nome do presidente da República Jair Bolsonaro foi falsamente inserido no caso pelo porteiro do condomínio.

Em depoimento à revista Veja, Sibilio declarou que

“As gravações comprovam que Ronnie Lessa é quem autoriza a entrada do Élcio. E, em depoimento, eles omitiram diversas vezes que estiveram juntos no dia do crime. O porteiro mentiu, e isso está provado por prova técnica”

Pela manhã desta quarta-feira, dia 30, o vereador Carlos Bolsonaro informou que áudios das ligações da portaria do condomínio confirmavam a versão da procuradora Simone Sibilio.

O caso tomou grande repercussão após a rede globo divulgar o processo de uma investigação que corre em segredo de justiça, tomando uma fala do porteiro do condomínio onde fica a residência do presidente, como uma possível prova de envolvimento de Bolsonaro. Sem levar em conta o fato de que o então deputado Bolsonaro encontrava-se em Brasília, a emissora noticiou com ênfase um factoide contra o presidente da República. Apesar do desgaste do governo por ter que ocupar-se por questões fora de sua alçada, o fato causou forte apoio público ao presidente Jair Bolsonaro.