Brexit: parlamento aprova, em primeiro turno, lei que proíbe saída sem acordo

1
Foto: REUTERS
Anúncio:

Ainda no impasse do Brexit, o Parlamento britânico aprovou, nesta quarta-feira (4), uma lei que impede a saído do Reino Unido da União Europeia sem um acordo, o chamado “no deal“.

O conservador Boris Johson, que foi eleito para Primeiro-Ministro no lugar da sua correligionária Theresa May, é adepto de uma ruptura brusca com o continente e prometeu a saída britânica, em 31 de outubro, prazo final do Brexit.

Anúncio:

A lei, no entanto, passará, ainda hoje, por segundo turno na Câmara dos Comuns, e, se aprovada, será encaminhada, na quinta-feira, à Câmara dos Lordes, que equivale ao nosso Senado.

Na presente votação, 21 parlamentares do Partido Conservador fizeram coro à oposição e romperam com Johnson.

Vale lembrar que desde que assumiu o cargo, em julho, Johnson tem apostado em duas manobras para conseguir o Brexit:

A primeira foi o pedido de suspensão do parlamento, concedido pela Rainha Elisabeth II. A medida fará com que o parlamento fique desativado por cinco semanas, à partir do próximo dia 10, de modo que, após o retorno, em 14 de outubro, tenha pouco tempo para debater a matéria, que, forçosamente, terá um desfecho em 31 de outubro.

Uma outra via, que passou a ser cogitada depois da lei que veta a saída sem acordo, é a da convocação de eleições antecipadas (de 2022) dada a disparidade de opinião entre governo e parlamento.

Em discurso, Johnson desafiou o líder da oposição:

“Eu convido o líder da oposição a confirma que se essa lei de rendição for aprovada, ele permitirá as pessoas deste país expressar sua visão sobre o que ele está propondo entregar em seu nome, com uma eleição em 15 de outubro”.

Vale lembrar que o Brexit foi aprovado em um plebiscito de 2016, com 52% dos votos, e desde lá Johnson é um grande entusiasta da saída.