Estado de SP insere ideologia de gênero em material escolar para 8º ano do fundamental

10
Foto: José Cruz/Agência Brasil.

Material recém lançado para o 3º bimestre de 2019 no estado de São Paulo se chama SP Faz Escola e no Caderno do Aluno para o 8º ano do ensino fundamental aborda ideologia de gênero e direitos sexuais. O material tem causado revolta entre pais que discordam das abordagens para a educação de seus filhos.

Assim que recebidos os primeiros exemplares nas escolas, começou a circula na internet fotos e um vídeo onde um pai mostra em detalhes o livro (veja vídeo ao final do artigo). No início do material consta data (2019) e nome do atual governador, João Dória, recém eleito com discurso de alinhamento à Jair Bolsonaro (slogan BolsoDória), o que gerou surpresa para muitos que votaram em Dória esperando algum alinhamento com Jair Messias Bolsonaro. Em 2016, quando falava de sua gestão para a prefeitura de São Paulo, João Dória se posicionou contra a ideologia de gênero.


Atualização de 03.09.2019 às 11h45: João Dória afirmou que solicitou o recolhimento do material.


O texto do material para crianças a partir de 13 e 14 anos afirma que o gênero é uma construção cultural e que ninguém “nasce homem ou mulher”, sendo a identidade de gênero um complexo “jogo do eu”, além de outros elementos da ideologia de gênero. Confira o conteúdo do material:

Página 29:

“A identidade de gênero refere-se a algo que não é dado e, sim, construído por cada indivíduo a partir dos elementos fornecidos por sua cultura: o fato de alguém se sentir masculino e/ou feminino. Isso quer dizer que não há um elo imediato e inescapável entre os cromossomos, o órgão genital, o aparelho reprodutor, os hormônios, enfim o corpo biológico em sua totalidade, e o sentimento que a pessoa possui de ser homem ou mulher. A identidade é um conjunto de fatores que forma um complexo “jogo do eu”, onde entram em cena a interioridade (como a pessoa se vê e se comporta) e a exterioridade (como ela é vista e tratada pelos demais).Nesse sentido, podemos dizer que ninguém “nasce homem ou mulher”, mas que nos tornamos o que somos ao longo da vida, em razão da constante interação com o meio social.”

No texto 2 da página 30 a apostila traz novamente conceitos de ideologia de gênero onde a heteronormatividade seria o motivo do preconceito e discriminação contra LGBTs na sociedade.

Na página 32 a apostila pede que os alunos do 8º ano façam grupos para realizarem pesquisas abordando temas como “movimentos sociais”, “Motivimento LGBT e Movimento Feminista”, “Direitos sexuais e reprodutvos”, etc.

Em outra página, a apostila foca na educação sexual:


Pais fazem vídeos mostrando a apostila e comprovando que as imagens acima são de fato do conteúdo da referida apostila publicada em 2019, na gestão João Dória:

Galeria de fotos:

 

 

 

 

10
Deixe um comentário

avatar
9 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
8 Comment authors
Ariadne OliveiraAlmanakut BrasilEduardo AraújoVICTOR EMANOEL SILVA DOS REISPIMENTA Recent comment authors
  Subscribe  
Notify of
Leandro José
Visitante
Leandro José

Meu Deus!

Joao
Visitante
Joao

Só posso dizer uma coisa… desgraçado traidor?

Joao
Visitante
Joao

Desgraçado traidor, vagabundo

degfrtgs
Visitante
degfrtgs

é isso aí, padrão.

PIMENTA
Visitante
PIMENTA

AGORA VIROU MODINHA: JOVENS GAYS QUERENDO SER DO SEXO OPOSTO. TOMAM MIL PORCARIAS, AMPUTAM ISSO, COLOCAM AQUILO, E AINDA INSISTEM QUE “NASCERAM” ASSIM E A SOCIEDADE TEM QUE ACHAR NORMAL. É O FIM DO MUNDO!!!