Governador de SC (PSL) pede expulsão de deputado alinhado a Bolsonaro

0
Foto: Luis Debiasi/Agência AL/ND

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL) está pedindo ao partido a expulsão do deputado estadual Jessé Lopes (PSL) por ter feito oposição à proposta de aumento do ICMS defendido pelo governador do estado. Lopes alega estar sendo perseguido por estar mais alinhado a Bolsonaro do que o governador.

Além da oposição de Jessé Lopes à proposta de aumento do ICMS, o colunista Adelor Lessa informa que Moisés não gostou de uma brincadeira do deputado, que retirou a foto do governador da parede do seu gabinete. O deputado diz ter posto a foto “de castigo” pelo governador estar indo contra pautas de redução do estado, vistas como fundamentais no projeto de governo do PSL, fortemente representado por Jair Bolsonaro.

O deputado federal Daniel Freitas (PSL), no entanto, considerou inadequada a retaliação do governador e tem atuado para impedir que aconteça a expulsão.

Segundo a coluna de Adelor Lessa, o “deputado federal Daniel Freitas, secretário geral da executiva estadual do PSL, pediu agora pela manhã ao presidente, deputado federal Fabio Schichet, que nenhuma decisão seja tomada a respeito do pedido de expulsão do deputado Jssé Lopes pelo menos até sexta-feira“.

A executiva nacional do PSL teria dado “sinal verde” para a expulsão do deputado. Daniel, da executiva estadual, estaria resistente ao ato de retaliação pedido pelo governador. Daniel não considera adequado expulsar do partido um deputado que é dos mais fiéis ao presidente Bolsonaro, sem pelo menos uma ampla discussão e sem que sejam esgotadas todas as possibilidades de um entendimento.

Em entrevista para uma rádio local, Jessé Lopes afirmou que não recebeu nada oficial, apenas ouviu falar da questão pela mídia. Outra deputada que também estaria na “mira de Moisés” seria Ana Campagnolo (PSL).

Desde que chegou ao poder, o governador vem confrontando pautas caras aos eleitores de Jair Bolsonaro, com os quais foi eleito. Aproximações com setores de esquerda, pauta LGBT, agendas globalistas e outras polêmicas subestimadas pelo governador, vem promovendo incômodos crescentes. O setor agrícola catarinense está bastante descontente com o aumento do ICMS e nessa questão até a vice-governadora, Daniela Reinehr, ficou do lado contrário de Moisés.

Especula-se que o governador, eleito como “único candidato Bolsonaro” das eleições, estaria em negociações com o MDB, o que o teria deixado à vontade para fazer exigências.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of